quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A chata que não meia a conta

Sabe quando a gente sai com amigos para jantar ou para um barzinho, e todo mundo come e bebe e no final divide a conta igualmente? Então... Em grande parte dos casos, eu sou daquelas que prefere comandas individuais e que, na falta delas, prefere dividir a conta de acordo com o que cada um consumiu.

Já vi gente reclamando de quem faz isso, dizendo que é mesquinharia ou egoísmo. A questão para mim é que, na maioria das vezes, nesse tipo de programa, as pessoas tendem a cair em um exagero sem fim. É muita comida e muita bebida - tudo em excesso -, o que vai de encontro a tudo que eu acredito e defendo. 

Eu não acho legal exagerar, mas também não vou ficar dizendo aos outros como viver a vida deles. Então fico quieta e busco reagir às piadinhas de que eu como ou bebo pouco brincando também. Só que eu acho que a liberdade de cada um vai até onde não influi na vida do outro. Então deixo que comam e bebam até de madrugada (em outros tempos, eu mesma já agi assim muitas e muitas vezes), mas eu não vou pagar por isso.

Claro que há exceções, e momentos nos quais eu meio a conta sem problemas, quando, por exemplo, os pratos e as bebidas são coletivos, e todos consomem mais ou menos as mesmas coisas. Mas na maior parte dos programas, principalmente naqueles que envolvem exageros, eu sou a chata que pega a conta, vê o que consumiu e calcula quanto da conta compete a mim pagar.

30 comentários:

  1. Também sempre tive esse "problema", principalmente porque não bebo e a parte mais cara da conta sempre é a bebida. Sempre tive dificuldade pra dividir a conta porque, bom, conta não é comigo. Quando a renda melhorou e passou a permitir, comecei a dividir em partes iguais pra facilitar a vida (e acabava nem ficando tãaaao mais caro assim). Mas isso já faz anos, porque faz anos que não saio... então talvez os preços de hoje sejam mais absurdos e a coisa esteja diferente, sei lá. Mas que é sacanagem quem acha ruim a pessoa pagar só o que consumiu, isso é. Nem todo mundo nada em dinheiro pra pagar a conta do outro.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é nem questão de dinheiro, sabe? É questão mesmo de eu não concordar com o exagero todo e não querer fazer parte dele. Se estou no mesmo barco e o consumo da mesa é no mesmo nível, não necessariamente as mesmíssimas coisas, não ligo de dividir.
      Beijo!

      Excluir
  2. Tb nunca entendi isso. Cara, cada um paga o seu, qual o problema?
    Tb já fui chamada de mesquinha por isso. Hoje evito sair, e quando saio, peço algo q não tenha como dividir.
    Não gosto mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É chato mesmo, Dani. Mas tem muita gente que entende. Desanima não. Hehe...

      Excluir
  3. Ultimamente tambem tenho pagado minha parte à parte. Não ligo de bebida e geralmente tomo suco! Não vou pagar pro pessoal que bebe feito doido! Rs! Tenho que valorizar meu dinheiro, oras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Nada mais justo e normal, não é?

      Excluir
  4. Também sou a "chata". Sou a única que não bebe e saimos geralmente em grupo de sete ou oito pessoas, se for dividir igualmente vou pagar uma infinidade de cervejas, caipirinhas e outras coisas que não consumi e isso é injusto. Sempre pago o meu e a minha cota nas porções (quando como) e os 10%. Cada um que sustente seus vícios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho. É uma escolha mesmo. Cada um tem total direito de comer e beber o tanto que quiser, mas do mesmo jeito cada um tem que lidar com as consequências da sua escolha, não é?

      Excluir
  5. Acho que se a pessoa nao bebe alcool, é justo que ela nao pague pelos drinks alheios. Mas ficar falando "eu bebi uma e o joao bebeu duas" acho absurdo, mesquinharia mesmo. Enfim, tambem prefiro lugar que tenha comanda individual pra nao ter que lidar com isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acho nada absurdo. A pessoa tem direito de pagar só o que consumiu, oras. Acho mesquinharia é a pessoa que consumiu mais ficar querendo que o outro pague pelo consumo dele. Mas isso apenas quando se trata de porções individuais. Se forem consumidas garrafas de cerveja por todos, por exemplo, aí é tudo meiado mesmo. Comanda individual é bem melhor mesmo.

      Excluir
  6. Difícil mesmo essa vida de quem não paga com todo mundo...Eu já não fico sem graça, observo o consumo dos outros e o meu e se não for justo dividir igual, eu sou a primeira a pegar a conta, somar minha parte, pagar e esperar aquela bagunça de divide/não divide (ocorre muito das pessoas somarem tudo também pra tentar dividir igualmente, ai desistem e todo mundo paga igual e outros questionam) para nem precisar participar dessa loucura. Muito melhor, mais justo e mais calmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conta em bar é sempre uma confusão. Evitar participar é uma boa. As ideias do comentário abaixo são ótimas.

      Excluir
  7. Eu já estive nos dois lados da coisa, paguei por quem come demais (não bebo então evito sair com quem bebe, por outros motivos tbm) E pedi ou tive a iniciativa de destrinchar logo o 'momento pagamento'.

    Pensando no assunto, me vieram à cachola umas coisas que já fiz com gente conhecida e desconhecida na mesa que me ajudaram a resolver a chatice da divisão, pq sempre rolam umas discussões.

    1- pague a dinheiro e tenha sempre trocado, moedas, etc, afinal, a atendente vai ficar feliz que nao tenha que pegar maquininha e blablabla e correr atrás de uma calculadora pra ajudar e tal.

    2- some mentalmente os custos do que consumiu, e controle seu consumo. não tem como discutir se nem vc sabe o que comeu/bebeu.

    3- se for uma daquelas pessoas com dificuldade matemática, vá anotando no celular se puder, afinal, td mundo dá uma conferida básica no celular durante o momento. mas disfarce.

    4- peça comanda individual.

    5- se os pratos foram comunitários e as bebidas consumidas entre todos ou os preços forem equivalentes (ex: algumas bebidas sem alcool do OUTBACK), divida sem crise, às vzs a discussao sai mais caro que a conta kkkkk


    L.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei as dicas! Todas muito boas mesmo!
      Sobre o item 5, sempre quando é comunitário, eu divido sem problemas, mesmo que uns consumam mais do que os outros.
      Obrigadinha ;)

      Excluir
  8. Eu já desisti de sair em grupo pois eu não bebo álcool e o povo queria que eu dividisse a conta com eles. Já me chamaram de mesquinha, mão-de-vaca, fora os olhares q dizem mais do q as palavras, etc... não vou mais, cansei do climão, todo mundo bebaço e a culpa é minha. Hj saio sozinha e não tenho mais essa dor de cabeça e nem tenho q aturar esses mimimis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É horrível isso. Eu acho que mesquinho é justamente quem consome muito e quer que você pague por ele. Aí vem falar que você é mão de vaca? Acho que essa pessoa é que folgada e tenta se aproveitar dos outros, viu?

      Excluir
  9. Eu não entendo qual a dificuldade dos bares em fazer comanda individual, seria tão mais simples. Muitas vezes também não acho justo dividir igualmente, porque as vezes bebo 1 suco de laranja (5 reais) e a outra pessoa toma uns 4 chopps (dá uns 30 reais). Se fosse rica não me importaria de pagar, mas sendo uma estudante pobrinha... pago só a minha parte mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria tão melhor mesmo, Raquel. Também não entendo a dificuldade. E para mim o pior não é nem o lado financeiro da coisa, mas os valores mesmo, sabe?

      Excluir
  10. Acho que, como tudo na vida, depende da razoabilidade.
    Como disse alguém aí em cima, uma coisa é se vc não bebe, ou não comeu nada, não dividir a bebida ou a comida. Justo. Outro, é se vc bebeu duas coca-colas e ficar reclamando porque B tomou três ou C tomou suco e um cafezinho. Aí, lamento lhe dizer Fernanda, mas é a mais pura mesqinharia mesmo (ficar contando o que o outro consumiu ...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha.... "Sinto lhe dizer" é ótimo. Hehe... Acho justo contar o que você consumiu. O que o outro consumiu já é problema dele, obviamente. O razoável, no meu ver, é dividir igualmente quando o consumo é semelhante (não igualzinho, mas no mesmo nível) ou que englobe pratos e bebidas consumidos por todos. Razoabilidade é igual bom senso. Todo mundo acha que tem. O melhor mesmo é combinar de antemão. Como diz o ditado "o combinado não sai caro".

      Excluir
    2. Também acho justo contar (e pagar!) somente por aquilo que consumo.
      Às vezes não ligo de pagar uma refeição para um amigo, mas quando isso acontece é porque já foi planejado e não vai me trazer nenhum problema.
      As pessoas tem diferentes formas de se organizar financeiramente, se alguém quer exibir sua "boa vida e grande generosidade" que pague integralmente por isso. Fazer caridade com as coisas dos outros é fácil.

      Excluir
  11. Pequenas diferenças de consumo não me incomodam, divido a conta sim. Como saio constantemente com o mesmo grupo de pessoas, já sei que não haverá grandes discrepâncias. Um suco e uma cerveja tem preços parecidos. Os homens sempre bebem mais, mas em compensação as mulheres às vezes pedem uma sobremesa. E todos dividem com bom-humor a salada que na verdade quem quer mesmo sou eu. :)
    Acho que vai tbem do bom-senso do grupo: não pedir as coisas de preço muito diferenciado, nem coquetéis ou bebidas mais caras. Estando todos no mesmo padrão, e não tendo nenhum alcóolatra no grupo, dá tudo certo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Vania. Há casos e casos. Nesses que você falou eu dividiria também :)

      Excluir
  12. Fernanda:

    Que coragem! hehe Eu tb fui essa "chata" aí que vc descreve...agora sou muito mais chata ainda e nem me lembro da última vez em que fui a um bar/ restaurante...hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehe... Eu vou bem pouco em bares e restaurantes, mas vou às vezes. O lado bom é que, com o tempo, eu fui escolhendo minhas companhias, e a maioria das pessoas com quem eu saio divide sempre, sem eu precisar dizer nada. Eu tenho percebido que a maioria das pessoas que acha isso chato é gente que tenta se aproveitar dos outros, e eu prefiro não ficar perto dessas pessoas. Melhor, não é?

      Excluir
    2. Fernanda, já enfrentei esse tipo de problema muitas vezes. E cheguei à mesma conclusão: se a pessoa acha ruim, indelicado ou mesquinho individualizar a conta (quando os consumos individuais são muito díspares), o problema está é com ela, que está mesmo querendo aproveitar, sem qualquer preocupação com o outro ou senso de "justiça" ... melhor não ficar perto! Às vezes (e não poucas), tenho a sensação de que muitos valores na nossa sociedade são descaradamente invertidos. Na minha opinião, faltam valores, falta respeito. É o caso! Como quem consome mais pode achar certo ou razoável que o outro pague por seu padrão/estilo de vida? Em qual valor ou princípio moral ou ético se fundamenta essa ideia? Alguém, na situação, está tirando vantagem, não está? É mais certo e honesto exigir uma gentileza ou atitude benemérita do outro (que fez suas escolhas e não consumiu muito) ou fazer sua parte, sua obrigação, e arcar com as consequências das suas escolhas, pagando simplesmente o que consumiu...?

      Excluir
    3. Exatamente como eu penso, Evelize. Falta respeito e ética mesmo. Por isso que mesmo quando eu fico com receio de parecer chata, eu prefiro agir de acordo com o que eu acredito. Obrigada pelo comentário. Você colocou bem em palavras o que eu quis dizer :)

      Excluir
  13. Acho também um absurdo sair um grup, uns bebem um montee de cerveja e eu bebo 1 refrigerant, ai tenho que pagar a cerveja dos outros porque? Cada Um no Deu quadrado né?
    mas ainda não tive a coragem de fazer isso.. de somar só o meu e pagar.. infelizmente divido a conta por igual e fico revoltada por dias
    kkkkkk��

    mas vou fazer isso na próxima vez sim! ✊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça e me conta, Vanessa. Ficar revoltada por conta dos outros não vale a pena. Ainda mais que, neste caso, eles estão errados. Hehe...

      Excluir