quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Os problemas do multitarefismo

Ultimamente, tenho tido dificuldade de me concentrar e de fazer uma coisa só de cada vez.

É comum que, no meio de um filme, eu fique inquieta e puxe o tablet pra dar uma checada no meu e-mail. Almoçar sem ver TV é praticamente impensável. Não sei como eu fui ficando assim, mas tenho percebido que não é exclusividade minha.

Os próprios navegadores vêm com um tanto de abas, para você poder navegar em um monte de coisas ao mesmo tempo. Tenho reparado que eu não consigo mais ler um texto online todo de uma vez. Eu leio um parágrafo, checo o facebook, leio outro, dou uma olhada no tumblr, e às vezes até leio 3 textos ao mesmo tempo, alternando entre um e outro.

Com toda a pressa que o mundo atual incentiva, e todas as tecnologias disponíveis, é natural que isso aconteça. Sinceramente, não sei se é bom ser assim ou não. Sei que estou ficando cada vez mais ansiosa, dispersa e esquecida. O pensamento sempre a mil, mas meio fragmentado. Não consigo me concentrar direito para resolver problemas complexos. Ter ideias realmente criativas então...

Como isso está me incomodando, vou tentar criar ilhas de concentração e relaxamento no meu dia. Almoçar sem fazer nada mais (ver TV, conversar, navegar no celular), ler um texto ou post inteiro na internet de cada vez, ver um filme inteiro sem mudar de canal ou pegar no tablet ou celular.

Um momento que eu já tenho assim é o da corrida. Eu gosto de correr sem ouvir música ou ter qualquer outra distração. Apesar de às vezes ser um pouco monótono, é a hora que em que eu tenho minhas melhores ideias, resolvo problemas e descanso a cabeça. Vou tentar criar outras assim nos meus dias.

33 comentários:

  1. Pois é, eu adoro caminhar e correr de manhã. Durante dois dias, naquela vibe preciso-aproveitar-todo-o-tempo tentei ouvir uns Ebooks ao mesmo tempo. Achei péssimo. Não conseguia me concentrar nem em uma coisa nem em outra. Agora eu deixo pra ouvir em outro horário, na hora do meu exercício eu me concentro nele - e ainda consigo ouvir uns passarinhos no parque :)

    ResponderExcluir
  2. Ter excluído as redes sociais da minha vida (é, radical, eu sei) e usar o método pomodoro está me ajudando bastante nisso. Mas ainda tenho mto pra melhorar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual é o método pomodoro? Hehe... Não conheço. Eu larguei o twitter e uso o facebook bem por alto, mas ainda me incomoda o tanto que eu uso. Vou pensar em como diminuir isso...

      Excluir
  3. Fer recomendo a leitura do livro A GERAÇÃO SUPERFICIAL, uma obra que fala EXATAMENTE sobre essa epidemia do multitarefismo. É um livro assustador pq mostra como a internet e o acesso rápido e ilimitado as informações está mudando a maneira como as conexões cerebrais processam o conhecimento. Uma frase que sintetiza é: "estamos empanturrados de informação, porém famintos de significado."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho o assunto super interessante, Fer. Adorei a frase! Vou procurar o livro. Muito obrigada pela dica ;)

      Excluir
  4. Fernanda, eu escrevi um post sobre exatamente esse assunto ontem e só não publiquei ainda porque não deu tempo de revisar e fazer aqueles ajustes finais. Eu tenho essa mesma dificuldade e ela está aumentando; chega a ser ridículo: escolho um filme pra ver e mexo no tablet durante o filme, o que resulta em não fazer nada realmente direito, ndm ver o filme e nem mexer no tablet. É como um vício em informação. Também não sei se é bom ou ruim. Fico me perguntando se isso quer dizer que vamos mudar nossa forma de lidar com a informação e o mundo e isso vai se tornar normal ou se estamos simplesmente perdendo habilidade de concentração. No fim das contas eu me sinto e exausta e parece que o tdmpo nunca passou tão rápido. Estou já há uns meses tentando criar essas ilhas de concentração que você mencionou, mas ainda não tive sucesso de verdade, porque o entorno está começando a lidar com o multitarefismo dessa maneira maluca também e por isso sou constantemenre interrompida. Em casa émais ffácil lidar com isso, mas no trabalho é dificílimo! Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Marina. Já percebi que a gente pensa parecido em relação a muita coisa. Fico feliz :)

      Pois é... Eu também fico nessa dúvida pensando se isso é uma tendência geral, e que se eu não fizer igual vou ter dificuldades tanto sociais quanto profissionais. Queria poder saber lá na frente no que isso iria dar. Hehe...

      Eu também tenho me sentido exausta, e fico com uma sensação de pressa o tempo inteiro. Parece sempre que estou atrasada. É horrível e desgastante.

      No trabalho é complicado mesmo. Por isso vou tentar preservar essas ilhas, mas mesmo isso estou achando difícil. Boa sorte para a gente ;)

      Beijo!

      Excluir
  5. Eu estou na fase de tentar criar as ilhas de concentração. Eu já perco a atenção muito fácil. Excluí twitter a mais de ano. Tb estou só no face, e tento entrar apenas 1x ao dia. Email é mais difícil porque preciso para trabalhar, mas também não abro toda hora.
    Evito assistir tv, então quando assisto é só o que realmente eu gosto e não me distraio com mais nada. Não tenho tablet e penso que não vou precisar por algum tempo ainda.
    Meu telefone não é tecnologia android, então nem entro na internet nele.
    Tenho evitado muito isso, pois em casa o tempo o curto já p/ fazer muitas coisas.
    No trabalho é que o bicho pega, mas estou tentando melhorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Dani. Eu também abandonei o twitter e estou tentando usar menos o facebook. E-mail é mais complicado mesmo, mas eu cancelei a inscrição de tudo quanto é promoção e newsletter para conseguir diminuir o volume de emails que eu recebo.

      O tablet é útil, mas é uma armadilha também. Hehe... Estou tentando mesmo me concentrar mais. Tomara que eu consiga :)

      Quando estou trabalhando, procuro nem abrir o navegador. Estou escutando música clássica também porque me ajuda a concentrar.

      Encontrar o equilíbrio é complicado, mas acho que a gente tem que tentar, né?

      Excluir
  6. Também estou nessa tentativa há alguns meses, quando me dei conta de que não estava mais conseguindo focar em algo ou aproveitar algum momento do começo ao fim sem me distrair com inúmeros outros estímulos pelo caminho. É difícil, é um processo de conscientização e aprendizado um tanto quanto lento, mas acho que estamos no caminho certo. Afinal, de fato, em muitas situações, menos é mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Clarissa. É um processo lento mesmo, mas isso é bom. Se a gente tenta ser muito radical, a chance de dar errado é enorme, eu acho. Então vamos com paciência, mas sempre melhorando ;)

      Excluir
  7. Nossa, escrevi sobre algo bem parecido no meu blog esses dias e ontem revi esse assunto! Não sobre ser multitarefas, mas sobre nossos excessos e como isso nos intoxica. Vou deixar o link, se vc preferir pode apagar o post ok? (pq num qro q pareça propaganda do meu blog, só achei realmente relevante pelo seu post.)

    http://doquecarregonobolso.blogspot.com.br/2013/09/desintoxicando-mente.html
    http://doquecarregonobolso.blogspot.com.br/2013/09/digerindo-tudo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei os posts e realmente têm a ver com o que eu escrevi. Não precisa se preocupar não. Leituras relevantes são sempre bem-vindas :)

      Excluir
  8. Eu me sinto assim também, querendo fazer tudo-ao-mesmo-tempo-agora :(
    Pior é que quando tento interromper esse ciclo e fazer uma coisa de cada vez, fico me sentindo estranha.
    Conheci o blog de vocês semana passada , adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você está gostando, Bruna!

      Pois é... Quando eu não estou na correria, eu fico me sentindo culpada, com a sensação de que devia estar fazendo algo e não estou, sabe? Argh... Mas é preciso superar isso ou a cabeça da gente (e o corpo) não aguenta. Dureza...

      Excluir
  9. Oi Fernanda,

    Eu trabalho com suporte, então a minha vida é fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Já aprendi a lidar com interrupções, que antes me deixavam muito irritada, mas mesmo assim, é bastante cansativo.

    Eu tento manter o foco, principalmente no trabalho. Fazer o proposto até o final e depois começar a próxima tarefa. Tem dias que tenho muito sucesso, outros nem tanto.

    Eu acesso muito pouco a internet nos finais de semana, e não tenho conta em redes sociais. Tenho evitado também os sites de notícias, porque me dei conta que a maioria não acrescenta nada, e algumas me fazem mal. Então abri mão de ser "bem informada", mas a minha qualidade de vida melhorou.

    Uma coisa que ajuda muito para aumentar a concentração é meditação. Eu fazia na aula de yoga, mas agora não tenho conseguido mais. A aula de yoga é uma preparação para a meditação no final, e sem a parte física, tenho dificuldade de manter o mantra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Daniela. Eu também estou procurando não ler muitas notícias, primeiro porque a grande maioria delas é irrelevante e não faz a menor diferença na minha vida, e segundo porque muita coisa publicada é mentira ou manipulação dos fatos. Hehe...

      Eu já pensei em fazer meditação, e já até tentei fazer por conta própria, mas não consegui. A yoga deve ajudar. Eu nunca fiz :(

      Excluir
  10. O passo mais importante vc já deu: tomar consciência do problema!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Vania. Agora é importante não desistir. Hehe...

      Excluir
  11. De vez em quando me vejo como você, fazendo mil coisas ao mesmo tempo e a mente tentando elaborar tudo. Quando me toco, dou uma respirada e procuro fazer uma tarefa de cada vez, mesmo a mente querendo fazer mais coisas. Não é fácil relaxar, mas é necessário. Se há algo que me incomoda é o cansaço mental que sempre acontece no fim da noite ou a crise maior no fim do ano. Precisamos priorizar mais e relaxar mais também. Não vale a pena essa correria toda.

    Beijos,
    Josy Santos
    http://muraldajosy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Josy. É o que estou tentando fazer também. Boa sorte para a gente ;)

      Excluir
  12. Às vezes quando faço muita coisa ao mesmo tempo sinto mais necessidade daquela pausa sem nada, e sem duvida que a faço! Acho que em algumas tarefas compensa, mas outras sem dúvida que não! Estou contigo! =)

    ResponderExcluir
  13. Eu também venho usando o Pomodoro e é bem interessante,,,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me explica o que é isso, por favor? :)

      Excluir
    2. Fê, é uma técnica em que vc utiliza um timer (originalmente, foi um desses de cozinha mesmo, com formato de tomate, daí o nome em italiano) e marca 25 minutos nele pra se concentrar exclusivamente em uma tarefa! Depois vc descansa 5 minutos até completar o primeiro ciclo (que tem duração total de 30min). Faz o mesmo nos próximos trinta minutos, até completar 4 blocos = 2 horas, quando vc terá um intervalo de descanso maior (15 a 30 minutos). Assim, em cada bloco de 25min vc manterá mto mais o foco e aumentará mto a produtividade!

      Excluir
  14. Oi, Fernanda! Bom, me mande seu e-mail por msg no face que eu te mando o livro Pomodoro! =)

    Queria te agradecer e tb à Lud, esse blog de vcs tem um conteúdo ótimo e super pertinente, e até os comentários são valiosos pra mim! =)

    Compartilho a forma como vc pensa.Encontrei com um professor meu da epoca do colegio ( há mais de 20 anos!!!) que continua na ativa lecionando Química.Ele afirmou veementemente que não pode mais dar aulas com o mesmo nível de 20 anos atrás pq os alunos não conseguem se manter concentrados pelo mesmo tempo dos alunos de outrora.Por isso, foi obrigado a baixar o nível das aulas e torná-las mais "divertidas"para prender a atenção dos alunos ao maximo. Ele acha sim que tem tudo a ver com os novos tempos de muita informação e pouca atenção. =/

    Qto ao Yoga, realmente recomendo, há várias vertentes e vc pode ver qual se adequa mais a vc.A organização Brahma Kumaris, que está presente aí em BH, tem cursos gratuitos ( contribuição espontânea e secreta) de Raja Yoga, que é pura meditação.Eu gosto muito das meditações guiadas do estudioso budista Jack Kornfield, tem algumas no youtube.A voz dele é calmante! Alan Wallace tb é um professor de meditação bem conceituado, tem várias palestras dele na internet, tb mais ligado ao Budismo.( Tudo em Inglês, mas creio que isso não seja um problema pra vc.)

    Não uso mais twitter, mas o Facebook muitas vezes rouba mais do meu tempo do que gostaria. =/

    Qdo fiz meu primeiro mochilão, em 2007, inaugurando um estilo de viajar completamente novo pra mim, bem mais simples do que estava acostumada, achei que iria estranhar ficar em quartos coletivos. Qdo vi que dormia como uma pedra, bem melhor do que no conforto e segurança da minha casa, comecei a pensar qual seria o motivo....e percebi que em casa estava sempre ligada, não apenas com internet e trabalho, como com afazeres domésticos.Sabia que, se deitasse e rolasse na cama 10 minutos, poderia me levantar e fazer alguma tarefa pendente até o sono chegar ( e sempre temos várias, não é?) Não apenas poderia, como DEVERIA, pq me sentiria culpada por estar "perdendo" tempo! Nos albergues, chegava a hora de dormir, apagavam a luz do quarto, faziam silêncio e fim de papo, eu "tinha"que dormir também e não ficava culpada! Hoje em dia é um inferno esse excesso de informações pq dá muito mais trabalho e perde-se muito mais tempo que antigamente triando o que é importante...qdo se consegue efetivamente fazer uma triagem efetiva, isso qdo não se fica ao sabor da correnteza por vezes perdendo tempo e energia preciosos! =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Ana!

      Muito obrigada :)

      Meu e-mail: fernandamarinho@gmail.com

      Minha irmã também é professora. Ela conta que hoje eles têm que usar um tanto de recurso para manter a atenção dos alunos. Mostram imagens projetadas, fazem atividade o tempo inteiro... Na verdade, as teorias da educação mais recentes dizem que o aluno participar mais ativamente é bem importante. Eu não acho que a distração de hoje é boa, mas é fato que a maneira de dar aula do passado também não era, né? Professor falando, falando, falando.

      Sobre a yoga, quem sabe no futuro? No momento, o tênis e a corrida já me ocupam muito. Hehe... Sem contar que eu estou evitando gastos. Mas é uma coisa que volta e meia eu penso, e um dia vou acabar fazendo. Vou procurar saber sobre esses cursos de Raja Yoga. Vou guardar esse comentário seu para ir pesquisando aos poucos.

      Eu usava pouco o facebook, depois comecei a usar mais, e agora tô voltando para o pouco uso. Tem coisa bastante interessante, mas tem horas que me dá desespero de tanta coisa, me dá um cansaço mental, sabe?

      Legal essa sua reflexão sobre o sono. Eu tenho uma rotina: eu sempre leio antes de dormir. Mas leio livros, deitada na cama, só com o abajur ligado. Assim meu corpo vai relaxando e a mente desacelerando.

      O excesso de informação é complicado mesmo. Dureza de lidar.

      Excluir
  15. Caramba eu estou exatamente assim. Igual a minha avó, não lembro de nada, não consigo ler tb um texto inteiro sem trocar de aba, e pior, depois não lembro do que li. Ando estressada porque quero fazer tudo ao mesmo tempo. Tenho tentado parar, mas é difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Acho que é um problema da nossa era, viu? Está todo mundo (ou quase) nessa mesma situação.

      Excluir
  16. Fernanda, me reconheci demais no seu post! Também tenho sentido isso. Mesmo durante a leitura de um texto curto e interessante como o seu, tive que me esforçar para não me dispersar, abrir outra aba ou checar a mensagem que chegou no meu celular. Li em algum lugar que multitarefismo, na real, não existe. O que fazemos é alternar rapidamente entre as tarefas e isso nem sempre é o ideal. Não conseguimos focar em duas coisas ao mesmo tempo e nosso cérebro sofre com essas alternanças entre tarefas porque demora um tempo para conseguir focar completamente em algo. Enfim, tenho percebido os mesmos problemas que você e também tenho tentado me policiar, focar em uma coisa de cada vez. Acho que faz bem e acabamos sendo mais produtivos e dando conta de tudo.
    Não sei se já tinha comentado por aqui antes, mas conheci o blog recentemente e tenho gostado demais da leitura. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Daniela!
      Faz sentido isso que você falou sobre não existir multitarefismo de fato. E as consequências a gente sente na pele, não é? Dureza...
      Obrigada! Que bom que está gostando! Fico muito feliz!
      Beijo!

      Excluir