terça-feira, 26 de abril de 2016

A dor, a falta, as lembranças e a gratidão

Na última semana, nossa cachorrinha morreu. A Xena ficou com a minha família por 15 anos. Foi nossa companheira em tantas fases, de tantas formas... Era a alegria de quando cada um chegava em casa.

Doeu e ainda dói. Nos primeiros dias, só de pensar no assunto eu chorava. Foi um final de semana inteiro de dor. Com o passar dos dias, outras preocupações da vida foram surgindo e dividiram minha atenção. Mas eu me sentia culpada. Achava que estava esquecendo dela, e que isso era uma injustiça. Ficava então mais triste.

Mas, com o tempo, comecei a me lembrar mais de todos os inúmeros momentos que tivemos a sorte de viver com ela. Desde que ela chegou miudinha e cheia de  pulgas na casa da minha mãe, quando ela foi crescendo e mordendo tudo que via pela frente, correndo desenfreadamente em volta da mesa, dormindo com a gente, fazendo os truques que ensinamos para ganhar comida, brincando com a  sua bolinha de estimação... As brincadeiras, os passeios... Sou muito grata por todos.

Na porta da casa da minha mãe, tem um quadro da Xena que minha irmã pintou. Toda vez que eu chego lá, faço um carinho no quadro e invoco essas memórias boas. Entro em casa com alegria, ao invés de tristeza, e na ausência dela eu mesma faço escândalo, grito que cheguei, abraço minha mãe e meus irmãos.

Estou tentando transformar a dor e a falta em boas lembranças e gratidão.

Quadro que minha super talentosa irmã, Ju Marinho, pintou da Xena. 

21 comentários:

  1. oi Fernanda,

    Sinto muito pela sua cachorrinha. Só quem já perdeu um bichinho de estimação sabe a dor que a gente sente.

    Eu já perdi duas gatinhas, a primeira que eu peguei filhote, morreu com 18 anos, faz 7 anos. Foi muito, muito triste. A segunda, eu peguei adulta, e ela ficou só dois anos comigo. Foi triste, mas eu estava mais preparada, porque ela ficou mais de um ano doente.

    Com o tempo a gente não chora mais, mas a saudade fica.

    beijo, Daniela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Daniela!

      Realmente, a dor está diminuindo, mas a saudade fica.

      Um beijo!

      Excluir
  2. Oi, Fernanda!

    Que comovente o seu post.
    Posso imaginar qual é a dor que você está sentindo, só quem passa por isso sabe. Espero que as infinitas lembranças boas da sua eterna amiguinha conforte sempre seu coração e o da sua família toda.

    Tenho certeza que a Xena amou a vida dela, amou cada pessoa que cuidava e brincava com ela. Eles são muito especiais, mesmo.

    Um beijão e força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Larissa! As lembranças são o que me confortam realmente. É saber que tivemos a oportunidade de viver tantas coisas juntas. Um beijão!

      Excluir
  3. Que quadro lindo, me passou uma paz olhá-lo, se é assim com o quadro, imagina então ter tido a sorte de ter uma cachorrinha assim. Sinto muito pela sua perda, mas creio que nesses quinze anos você ganhou muito com essa convivência, e sua cachorrinha idem, tanto que isso é o que realmente importa. Espero que sua dor diminua cada dia mais e que passe a se chamar saudade, saudade dos bons momentos. Enquanto amarmos alguém, seja pessoa ou animal, essa pessoa nunca morre porque vive em nós. Beijos para você, e fica na paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras, Érica! A dor está diminuindo, mas a saudade não. Realmente foram 15 anos de muita alegria e companhia. É o que me conforta. Beijo!

      Excluir
  4. Awn gente muito carinho pra você e toda a família, meu cãozinho de 13 aninhos está com um problema nos olhos (curável), e já foi suficiente para dar aquele baque na gente "de que são os últimos anos dele aqui conosco", estou me esforçando ao máximo para aproveitá-lo, vê-lo feliz, e assim, quando chegar a hora (espero que esteja longe), poder me apegar nestas lembranças também.

    Sua ideia de fazer "festa" quando chega em casa é incrível, que generosa!

    Beijos e abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho! Aproveita mesmo. Cada momento que passamos com que amamos deve ser muito bem aproveitado, porque passa rápido. O pessoal lá de casa (por mais que eu tenha mudado, ainda chamo a casa da minha mãe de "lá em casa") está se apoiando muito. Estou tentando fazer minha parte :)
      Abração!

      Excluir
  5. Tenho duas cachorrinhas, sendo que uma delas ganhei com um mês de vida, esta última interage de forma quase completa para comigo, quando estou de saída, me olha cima a baixo, olhar expressivo, se soubesse falar, diria com que roupa saí. De uma forma geral é uma cachorrinha mais que especial. Me emocionei com seu post, porque tenho medo de perde-la, e também tenho medo de deixa-la. Compartilho de seu sentimento, porque já "alcancei" a dor desta perda. Tem um post que sempre leio, e veio em minha mente logo que li seu post. Talvez você já conheça, mas compartilho o link...https://www.biologiatotal.com.br/blog/porque+os+caes+vivem+menos+que+as+pessoas-301.html

    Abraço

    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O quadro ficou lindo... de muita sensibilidade. Parabéns a sua irmã. corajosa, pintando e revivendo...

      Maria

      Excluir
    2. Maria, muito obrigada por compartilhar esse post. Me fez chorar demais, mas me fez pensar bastante também. Obrigada pelo carinho, viu?

      Minha irmã é realmente muito talentosa. Tenho muito orgulho!

      Um abraço forte!

      Excluir
  6. Perder cachorro é barra. Sinto mto mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Tô aqui te mandando um abraço e nem querendo pensar no dia em que me despedirei dos meus filhotes.
    Força. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Não é fácil mesmo. Se tem uma coisa que eu queria dizer é: aproveite seus filhotes. É o que nos conforta quando o momento chega. Beijo!

      Excluir
  8. Fernanda, acho que sei bem o que você está sentindo. A nossa poodle conviveu conosco por 19 anos... há uns 6 anos ela nos deixou. Morreu de velhice. As pessoas achavam engraçado quando eu dizia que a considerava minha irmã. E era sério... para nós ela era filha de minha mãe....rs... Criamos um amor tão grande por nossos bichinhos que é difícil aceitar quando eles se vão. Até hoje lembramos com saudades das travessuras dela e das alegrias que nos deu. Muita força para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Fernanda. Realmente nem todo mundo entende a relação e o amor que temos com nossos bichinhos. Por isso eu evito até comentar a respeito com algumas pessoas. Estou com saudade demais dela. São as lembranças me confortam. Um abraço!

      Excluir
  9. Sei o quanto isso dói e realmente espero que Deus use o tempo a seu favor para dor virar uma saudade boa.
    Bj e fk c Deus
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Que quadro lindo! E perder um animalzinho doi demais, não importa o tempo que ele tenha ficado conosco! Mas o que você está fazendo é o certo: lembre-se dela com carinho, pois certamente ela gostaria de ser lembrada assim! Beijos pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo mesmo, não é? Obrigada pelo carinho, Bruna. Dói mesmo e acho que só a gratidão consegue superar essa dor. Pensar que ela gostaria de ser lembrada assim é uma ótima ideia. Muito obrigada! Beijão!

      Excluir