terça-feira, 13 de outubro de 2015

Por maior que seja a tentação, se entregar não é a solução

Lembra quando eu contei que eu estava em uma fase com muito stress e muito trabalho, e que agora as coisas iam melhorar? Que inocência a minha! As coisas não melhoraram muito. Eu continuei trabalhando loucamente e tudo na minha vida continuou corrido, difícil e exigente. 

Eu me entreguei. Achei que podia ser a solução. Achei que eu precisava concentrar toda a minha energia no trabalho e parar de usá-la para o resto. Achei mais fácil. Então parei de me organizar, parei de escrever pro blog, parei de fazer um tanto de coisas que eu gostava e principalmente parei de resistir a estímulos  e tentações. 

Comprei um tanto de coisa, comi um tanto de bobagem, baguncei meu sono, deixei minha rotina ir por água abaixo.

Na hora sempre parece uma boa ideia. Se entregar... É tão gostoso não ter que resistir e poder comer um cheddar duplo. Parece ótimo deixar de ir para a capoeira e ir para casa mais cedo. E precisar comprar uma blusa, gostar de duas e comprar as duas mesmo? Tudo uma delícia. Parece... Mas logo depois, saindo do Mc Donalds ou da loja de roupas, aquela sensação boa já começa a sumir. Rapidamente acaba. Mas não as consequências daquelas escolhas.

Tudo acumulando: os gastos, os quilos, a desordem e as frustrações. E vai só piorando. E a gente se sentindo pior, vai dependendo cada vez mais dessa satisfação rápida, que cada vez ajuda menos. A compulsão está logo ali na esquina.

Eu não quero ser essa pessoa. Vai contra tudo que eu acredito e venho buscando nos últimos anos. Estou procurando forças dentro de mim para reverter essa situação. Mas uma coisa eu já decidi: por maior que seja a tentação, eu não vou mais me entregar.

17 comentários:

  1. Seu texto me caiu como uma luva! Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina, thais... Vamos juntas nesta batalha ;)

      Excluir
  2. Força Fê, é difícil, mas você vai conseguir. Não se esqueça que você é inspiração para muita gente que lê seu blog. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Olha, vou te dizer uma coisa sobre mim. Eu não acredito que eu vou chegar a um momento em que não vou mais errar. Comigo é assim. Eu vou bem, aí desabo, e recomeço. Eu tava bem, daí essas semanas procrastinei bastante e comi muitas porcarias. Mas acordei!
    Minimalize também os sentimentos ruins, tá? Não se culpe. Apenas perceba os erros e comece a agir. E mais... seu trabalho tem tanta importância assim pra você? Trabalhe para viver, não viva para trabalhar. Nem sempre o trabalho nos dá o retorno que esperamos, não vale trocar nossa vida. Seja produtiva, foque no trabalho, isso no seu horário de trabalho. Acabou o horário? Saia e viva!
    Estou aqui sempre acompanhando e torcendo pra tudo dar certo pra você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau!!! Que resposta inspiradora. Amei a frase"Seja produtiva, foque no trabalho, isso no seu horário de trabalho. Acabou o horário? Saia e viva!" Perfeita. É isso mesmo. A tanto tempo tento colocar essa ideia na cabeça do meu marido. Espero que vindo de outra pessoa tenha mais efeito!
      Obrigada. http://edjanemenezes.blogspot.com.br/

      Excluir
    2. Muito obrigada pelo carinho, Pri!

      Excluir
  4. Oi Fernanda,

    O stress é um gatilho para essas situações. Quando a gente está sobrecarregada, é muito mais difícil manter a rotina. Não se culpe tanto, só tenta entender o que o cansaço mental faz com você.

    Comigo, eu sempre acho que posso fazer mais coisas, que posso dar conta de tudo e quando vejo estou brigando com todo mundo e chorando sem razão (sem contar os impulsos consumistas).

    Aliás, eu sempre que leio essas coisas em revistas: você pode tudo: ser mãe, executiva, magra e linda, eu penso nisso, que esses padrões fazem a gente ficar ansiosa por não ser tudo isso e consumir mais que o necessário.

    beijo, Daniela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Daniela! Concordo e me identifico com tudo que você disse. Realmente a pressão hoje em dia pra ser um sucesso (e o que seria um sucesso?) é muito grande e irrealista. Muuuuito obrigada pelo apoio. Beijo!

      Excluir
  5. Oi Amiga!
    A compulsão realmente não é nada bom, mas pelo pouco que fez me parece que sua mente buscou uma recompensa pelo tanto de trabalho e stress nele estavam te causando.
    Acho que a vida tem que ser vivida fazendo o que a gente tem vontade, mas precisamos saber também de onde vem essa vontade, de repente você esteja coma mente e corpos cansados e o problema não está nesses "excessos" ou "luxinhos" que você deu a você, o problema definitivamente não são eles!
    Pense na raiz deles amiga, repense seu trabalho, sua rotina e encontre o que está te deixando com vontade de "romper limites"

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Allan. É uma recompensa mesmo. E realmente o problema não são esses pequenos luxos, mas o que está me causando esse stress e aborrecimento. Se eu não resolver isso, não adianta ficar tentando vencer o sintoma. Muito obrigada pelo comentário e pelo carinho. Beijo!

      Excluir
  6. Oi Fernanda, estou passando por algo bem similar.
    A gente se sobrecarrega e às vezes, sem perceber, se entrega a tudo que não queremos de verdade. Para mim tem sido uma luta, mas é muito importante quando a gente finalmente percebe o que está fazendo mal porque só assim podemos fazer algo a respeito.
    Força por aí!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Renata! É o que estou percebendo, principalmente por ler seu comentário e do Allan. Realmente o que precisa ser resolvida é a raiz do que está me trazendo stress e aborrecimento. Muuuito obrigada! Vamos juntas! Beijo!

      Excluir
  7. estou a estudar novamente e com a pressão e o pouco tempo, sinto.me assim, com muitas ganas de comer besteiras e sair pra comprar a loja inteira... mas depois chega o remorso... grata pela sua partilha***

    ResponderExcluir