sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Saúde é essencial

Sabe quando a gente fala que desapegamos do supérfluo pra focar no essencial? Então... A saúde da gente é uma dessas coisas essenciais, e exige dedicação.

Primeiro, é preciso cultivar hábitos saudáveis. Uma alimentação equilibrada e sem exageros. Atividades físicas que façam bem ao corpo. Noites bem dormidas. Mente sã. 

Mas nem sempre isso tudo é garantia de que não nos machucaremos e não ficaremos doentes. Eventos que fogem do nosso controle acontecem e algumas doenças são hereditárias, congênitas e outras nem a ciência sabe ainda dizer por que acontecem.

Para lidar com elas é preciso em primeiro lugar respeitar nossas limitações. Eu estou aqui sofrendo pra não sair fazendo tudo que eu gostaria com a minha mão machucada. Ela precisa de repouso. Assim como diversas outras enfermidades. Precisamos ajudar nossos corpos a se recuperarem.

Outra coisa fundamental é ir ao médico. Inúmeras doenças, síndromes e condições prejudiciais à saúde podem ser curadas e revertidas com facilidade se descobertas no início. Alguns pelos quais eu já passei: anemia, colesterol alto, infecção urinária e baixa B12. Todas condições que agravadas poderiam me trazer problemas sérios e talvez irreversíveis. Mas há casos em que o diagnóstico tardio é ainda pior.

Então aproveito sempre o fim de ano para fazer um check-up. Vou em todos os especialistas que não fui durante o ano. Tem me feito muito bem e recomendo a todos. É para esse tipo de coisa que a gente tenta reservar o tempo não usado para inutilidades. 

10 comentários:

  1. Concordo com você, saúde é fundamental. Convivo com um problema de saúde a muitos anos, só a pouco mais de 1 ano descobri o que é e estou me cuidando. Não tem cura, tem controle e assim posso levar uma vida normal, com os devidos cuidados. E curioso que eu só descobri de verdade o que tenho depois que comecei a me interessar pelo minimalismo e comecei a focar no que verdadeiramente importa para mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito, Andreia. Que bom que você pode controlar esse problema. Espero que o minimalismo esteja te ajudando :)

      Excluir
  2. Eu concordo com tudo o que você falou! Aproveitei esse mês para fazer um monte de exames, depois de passar o ano acumulando as guias sem fazer nada. Descobri que estou com alguns probleminhas, mas todos contornáveis. E ainda tenho um monte de outros exames marcados para a semana que vem. Agora é incentivar os meus pais a fazerem esse check-up anual também. Melhoras para sua mão machucada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que são todos problemas contornáveis, Carol. Os meus também são. Hehe.. Incentivar os pais é uma ótima ideia. Vou conversar com os meus. Obrigadinha :)

      Excluir
  3. Também tenho o costume de fazer esses check-ups no final do ano, me sinto bem com a tarefa da prevenção cumprida.
    Sei que não tem muito a ver com o post, mas li uma coisa no http://www.un-fancy.com hoje que me lembrou do seu blog, achei que seria legal compartilhar:
    "There are plenty of successful minimalists who lead appreciably different lives. Our friend Leo Babauta has a family and six children and lives in San Francisco. Joshua Becker has a career he enjoys, a family he loves, and a house and a car in suburbia. Conversely, Colin Wright owns 51 things and travels all over the world, while Tammy Strobel and her husband live in a “tiny house” and are completely car-free in Portland. Even though each of these people are different, they all share two things in common: they are minimalists, and minimalism has allowed them to pursue purpose-driven lives.

    But how can these people be so different and yet still be minimalists? That brings us back to our original question: what is minimalism? If we had to sum it up in a single sentence, we would say, Minimalism is a tool used to rid yourself of life’s excess in favor of focusing on what’s important so you can find happiness, fulfillment, and freedom."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também me sinto com o dever cumprido, Mônica.

      Adoreeeei a citação. Concordo demais. Fico incomodada com quem tenta ditar para os outros o que deve ser a vida minimalista deles. Também acho que é uma ferramenta, um caminho. Obrigadinha :)

      Excluir
  4. Gostei muito do post! É muito importante fazer um check up anual. Ao ler me lembrei de uma reunião com um médico, chefe da equipe em que trabalho onde ele falou: "toooodo mundo quer fazer consultas e exames a partir do mês de outubro isso aqui vai virar um inferno atrás de vaga, todo mundo deixa pra ultima hora. Daí eu percebi que eu fazia isso mesmo (fiquei quietinha nessa hora rsrsrs) agora eu tento marcar meu check up em agosto (pq eu ligo esse mês o peso do inverno, ir + na academia, etc...) ... esse ano eu comi bola e marquie em cima do prazo (15 de dezembro) resultado me ligaram desmarcando a gineco dizendo que ela fez uma pequena cirurgia.. bom mas fica pra lista de 2015. Bjs e um feliz ano novo, repleto de paz, muita saude e felicidades...

    ResponderExcluir
  5. Que bom que gostou, andreia! Hahaha.. Eu não sabia dessa do fim do ano. Obrigada pela dica. Vou adotar também. Passar a fazer o check-up lá pra agosto. Obrigada pela dica ;)
    Beijos e feliz 2015 para você também!

    ResponderExcluir
  6. Também incorporei minimalismo, parei com consumismo.. E aprendi mais uma coisa vital, essencial quando se fala em saúde.. Procure por linguagem do corpo, da Cristina Cairo. Tudo a ver com a nossa preocupação com check ups médicos, prevenção! Muda nossa visão sobre doenças, ou porque falta isso ou aquilo pra nós..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal! Obrigada pela dica. Vou procurar ;)

      Excluir