segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Mala minimalista para 4 meses (primavera/verão na Europa)

Dessa vez, fizemos as malas para a temporada de maio até setembro. Começamos no leste europeu (Bulgária, Romênia), passamos pelos países da ex-Yugoslávia (onde havia previsão de muito calor e paradas garantidas em praias e lagos), demos um pulinho pela Áustria e Hungria e vamos terminar em locais definitivamente friozinhos (Copenhague, na Dinamarca, e Islândia).

São quase cinco meses. Que passei com duas calças jeans, dois shorts, dois suéteres, três sapatos (incluindo chinelos), uma jaqueta de couro, seis blusas, um bíquini, um maiô e uma saída de praia (que nem usei).


O segredo é, claro, lavar roupa com frequência (a gente sempre aluga casas com máquina de lavar) e dar preferência às peças que não precisam de serem passadas a ferro (damos uma boa sacudida antes de colocar para secar e elas se comportam bem). Troco de meia todo dia e encho os sapatos de talco do Dr. Scholl. Quando paramos mais tempo em um lugar, aproveito para lavar os sapatos também. Andamos limpinhos e cheirosos por aí.

Os sapatos são um tênis preto de couro, uma sapatilha "comfort" preta (muito linda ela não é, mas engana) e chinelos Havaianas. A camisa azul e branca é minha saída de praia, mas andei usando meus shorts em cima do biquíni/maiô. Na mala também tinha pijama e um conjunto de ficar em casa: calça de moletom preta e blusa confortável.

Quando esfriar mais, o jeito vai ser fazer camadas: camisetinha de alça + camiseta + suéter + jaqueta de couro + cachecol. Na Islândia, onde as temperaturas devem estar abaixo de 10º C, vou usar também roupa de baixo térmica e luvas.

Em retrospectiva, a única mudança que eu faria seria trocar a camisa-saída-de-praia por um vestidinho fresco para usar nos dias mais quentes.

Todas as peças combinam com todas (até o short roxo com a blusa verde: não teve uma moda aí que botava peças coloridonas juntas?), mas o principal é que elas são confortáveis. Dá pra sentar no chão, subir em muros e cruzar as pernas feito índio sem pensar duas vezes. E, em viagem, conforto é importante, né? Mas, se eu quisesse sair mais arrumadinha, escolheria a calça jeans escura + blusa de alça preta + cachecol (e jaqueta de couro se estivesse frio).

Atualização: a previsão do tempo disse que as temperaturas na Islândia iam estar bem baixas, e o país é bem úmido, então acabei comprando um casaco preto impermeável, com capuz, na Dinamarca. Custou menos de 20 euros e não era nenhuma lindeza, mas quebrou o galho legal!

14 comentários:

  1. Muito legal Lud! Ainda não cheguei nesse ponto, afinal, eu viajo bem menos que você, né? risos... Na última viagem que fiz de 7 dias, ainda trouxe algumas peças sem usar. Gostei das cores e padrões das peças, tudo de bom gosto.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Andreia! Não tem nada de onça, né? rs.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lud, seu texto é ótimo!!

    gente do céu, sao 20 itens, VINTE!!!! 5 meses!!! Eu estou tentando entrar nesse processo (pois afinal, muita bolsa/sapato/roupa/creme, é necessário parar com esse consumo)...

    eu contei as peças que estão em cabides, são cerca de 80.. Isso pq já doei umas 3 sacolas com itens.. isso pq ainda tem os calçados, as gavetas com camisetas, a caixa com casacos.... imagino q devo ter uns 200 itens, pelo menos..

    eu já separei alguns q estão em bom estado e q foram caros (umas 2 duzias), e realmente queria vendê-los, mas ainda não tirei as fotos e divulguei... será q vale a pena o trabalho? A ideia era só se desfazer mesmo, não acrescentar novos itens...

    beijo,

    Leila

    ResponderExcluir
  4. Leila, obrigada! Reduzir é sempre bom, mas quem não está viajando pode ter um número maior de peças, né? rs.

    Eu vendi as roupas/sapatos mais caros em um brechó bacaninha em Brasília. Eles não pagam muito, mas só tive o trabalho de levar lá. Se você vender por conta própria, ganha mais, mas tem de por a mão na massa (divulgar, negociar, entregar). Quem sabe você se junta com amigas para fazer um bazar? Atividades em grupo são mais divertidas e o trabalho é compartilhado...

    Beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  5. Sensacional. Ultimamente quando vou viajar (viagens curtas e tal) eu ja programo as roupas que vou usar pra não levar nada em excesso! Ótimas escolhas pra sua mala! Aproveite bastante!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bruna! É tão bom levar só o necessário na mala, né? Porque até escolher a roupa pra usar no dia é fácil!
      Beijos

      Excluir
  6. Quando vc não está viajando, Lud, qual o número de itens vc tem, pensando de forma minimalista? falo isso pq acho q tenho muita coisa q não uso de verdade. sabe aquele saltao MARA q vc usou uma vez pra ir numa festa chique e depois não usa mais pq, afinal, vc pega ônibus pro trabalho todo dia, e não tem a necessidade de um salto na sua vida? ou a bota q vc viu q pega no calcanhar, e fica de lado, apesar de ser linda e quentinha? Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leila,
      é difícil dizer, porque hoje eu tenho umas peças que ficaram no Brasil, outras estão na casa da minha irmã na Alemanha e tem essas na mala, mas foi bom você perguntar, para eu pensar em que pé as coisas estão!

      1) guarda-roupa de trabalho: 17 peças, contando com uma bolsa e dois sapatos (http://minimalizo.blogspot.dk/2012/08/meu-guarda-roupa-de-trabalho-17-pecas.html);

      2) vestidos de festa: dois, um curto e um longo. Sapato: sapatilha preta com laço (http://minimalizo.blogspot.dk/2012/09/vestidos-de-festa-um-curto-um-longo.html);

      3) roupas casuais: estas do post, mais calças, várias blusas, uns vestidinhos e casaquinhos;

      4) roupas de inverno (muito necessárias por aqui): um casaco longo preto, um casaco meia-estação preto, umas quatro blusas de lã, dois cachecóis, luvas pretas, roupa de baixo térmica. Ufa!

      Isso é o que eu consigo lembrar, mas deve ter mais coisa na Alemanha. Quando eu voltar lá, vai ser hora de mais um destralhe, rs...

      Mas você perguntou a respeito de sapatos, né? Como eu parei de usar todo e qualquer sapato desconfortável (uma das melhores decisões da vida!), eliminei os saltos, ponto. Doei e vendi todos que eu tinha. Também foram nessa os sapatos que doíam/pegavam/incomodavam. A vida é muito curta pra gente ficar com o pé esmagado! É desconfortável? Adeus!

      Se você pretende usar o saltão mara em outras festas, sugiro que você o guarde, mas bem à vista - para não se esquecer dele!

      Beijos e boa sorte!

      Excluir
  7. nessa lista q vc descreveu (muito bem por sinal, brigada), não tem 100 peças, rs... há uns 8 anos comecei a trabalhar formal/te, entao precisava adequar o guarda-roupas.. mas fiz, e ainda faço, escolhas erradas de sapato, de verdade... pq será? eu sempre sigo aquela dica de não comprar calçado com pés descançados, ando MESMO com o calçado dentro da loja pra me certificar... mas, na vida real, simplesmente não funciona!!

    bj

    ResponderExcluir
  8. Lud, como vc aprendeu a se vestir pro frio? Já tinha alguma noção ou foi na marra mesmo? As roupas térmicas funcionam pra valer? Vale mais uma blusa de fleece ou uma segunda pele térmica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thaís, na primeira vez que viajei para um lugar frio, me contaram que a manha era fazer camadas - e eu fiz, com roupas que eu já tinha: segunda pele (do mesmo material de meia-calça; nem sei se existe mais), blusa de algodão de manga comprida, blusa de lã, casaco gordo, cachecol de lã. À medida em que fui vai viajando, fui aproveitando promoções e comprando umas peças mais tecnológicas, isto é, mais leves/finas/eficientes: roupa de baixo térmica, casaco com recheio de penas, cachecol mais fino (aquele que vendem como "pashimina" nas portas das lojas de cidades turísticas).

      Roupa térmica funciona, sim! Tem de ser bem justinha, e é uma primeira camada que ajuda muito o corpo a ficar aquecido. Eu não diria que a segunda pele térmica esquenta mais que a blusa de fleece - a vantagem dela é que é fininha, então você pode usar por debaixo de tudo (inclusive da blusa de fleece!), acrescentando uma camada de calor sem ganhar volume; e que seca rapidinho, então dá pra lavar várias vezes em uma viagem.

      Existe roupa térmica de vários materiais. Um deles é merino (lã de carneiro), e a minha experiência com ele não foi muito boa, não: coçava (parece que algumas pessoas são sensíveis) e depois de ser lavado, encolheu. Me livrei dele com alegria. O que uso hoje, e acho bonzinho, é da Uniqlo, uma loja japonesa que tem em várias capitais europeias; e sei que Decathlon, que também tem no Brasil e aqui é barateira e a gente adora, também vende.

      Beijos e boas aventuras!

      Excluir
  9. Só agora consegui ler, rs... Obrigada pelas dicas! Nunca reparei nessa Uniqlo na Decathlon, mas vou conferir! Sim, essas segundas peles de meia ainda existem, rs... Tenho algumas delas, mas me incomodam um pouco. Na viagem que vou fazer agora vai estar meia estação, mas com certeza ainda vou voltar pra Itália em mtos invernos. Bjos! =)

    ResponderExcluir
  10. Gostaria de saber se é apropriado o uso de jaqueta de couro na primavera na França, Alemanha e Suíça?

    ResponderExcluir
  11. É, sim, Anônimo. O ideal, no entanto, não é ficar só nela: blusas quentinhas para usar por baixo e um cachecol (para aqueles dias em que faz um ventinho frio) são bons complementos.
    Boa viagem!

    ResponderExcluir