sexta-feira, 11 de julho de 2014

Desapegando das roupas velhas, parte I

Uma coisa curiosa que descobri quando eu mudei foi como eu tenho roupa velha, apesar de todas as seções de jogar coisas fora e doar.

Na verdade, acho que isso é um reflexo da minha extrema pão dureza. Tem tanto tempo que eu não compro roupas, e que eu vou usando as mesmas, que naturalmente elas vão ficando velhas. É também consequência do cuidado que eu tenho com as coisas. Como as roupas não estragam, eu continuo usando.

As únicas roupas novas que eu tenho foram as trocadas (que não são exatamente novas) e algumas que ganhei de presentes. O resto é bem antiga. E quando eu falo antigas é coisa de 10 anos, em média. Nesse tempo, eu mudei de corpo e de hábitos. Ainda bem que eu nunca segui moda, se não tudo seria incrivelmente datado. Além dessas questões, por mais que eu seja cuidadosa e as roupas não cheguem a estragar, elas ficam cheias de bolinhas, meio relaxadas, algumas perdendo a cor e o elástico.

É hora de desapegar. Vou aproveitar o fim de semana para fazer uma limpa no armário. Depois, vendo o que sobra, vou ver se eu preciso comprar novo, e o que seria.

Impressionante como o minimalismo é um processo constante e não um estado que se atinge.

Vou procurar, e recomendo a todo mundo, de tempos em tempos tirar tudo para fora do armário e dar uma olhada mais criteriosa.


10 comentários:

  1. Eu sinceramente espero que daqui a dez anos eu ainda tenha alguma peça de agora, rs... Passei por uns anos com tantas mudanças que meu guarda-roupas acompanhou, e qdo eu achei que tinha finalmente sossegado, tive que mudar tudo de novo... Aproveite o que esse momento de renovação traz de bom! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou buscando aproveitar :)
      Mesmo desapegando de várias coisas, acho que vão ficar algumas de dez anos ainda. Hehe...

      Excluir
  2. Eu gosto muito de me mudar, apesar do trabalho, e uma das vantagens é essa: a gente é obrigado a repassar por tudo que tem, e aí é um momento ótimo pra desapegar...
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Lud! E a gente sempre tem mais do que pensava. Impressionante!

      Excluir
  3. "Impressionante como o minimalismo é um processo constante e não um estado que se atinge". Muito verdadeira essa frase.

    E vc tem razão: vale muito a pena fazer uma limpa assim de tempos em tempos. Pra pessoas com preguiça de comprar roupas (parece que vc é assim, eu também sou rs) é importante não acomodar demais. hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Mariana... Sou assim mesmo. Moooorro de preguiça de comprar roupa. Ir em loja, experimentar, lidar com vendedor. Preguiiiiça. Mas é importante fazer esse esforço de vez em quando mesmo. Hehe...

      Excluir
  4. Suspirando aqui: tenho muito o que caminhar...rsrs. Embora eu tenha reduzido muito minhas compras nos últimos anos, confesso que comprar roupa é um verdadeiro prazer para mim. Reduzi muito, compro de 12 a 15 peças por ano. Considerando que nunca ganho roupa de presente, é uma quantidade razoável. Tenho algumas coisas com mais de 10 anos, principalmente roupas de frio, malhas mais pesadas, uma ou duas bolsas, acessórios de festa. Fico muito atenta com o estado de conservação, mesmo das roupas do dia a dia: ficou com cara de velha, eu me desfaço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos temos muito o que caminhar. Hehe... Eu preciso ter mais cuidado com o estado de conservação, como você falou que tem. Cada um tem seus desafios. O importante é não desanimar e melhorar aquilo que a gente acha importante que seja melhorado ;)

      Excluir
  5. Toda vez que acho que preciso comprar roupa, eu arrumo o meu guarda roupa, acho coisas que nem lembrava mais que existiam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo arrumando, o que eu também faço, a gente não repara em tudo. Eu fiquei impressionada quando fui fazer a mudança. Hehe...

      Excluir