sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O que o minimalismo NÃO me trouxe

Iluminação: gostaria de ter descoberto de onde viemos e para onde vamos (a humanidade, e não a minha pessoa - aí a resposta seria "da caminha" e "pra cozinha fazer pipoca"), mas não rolou. Superioridade moral: eu me acho mais esperta do que quem torra o salário todo + o limite do cartão em um montão de objetos, e depois tem de guardar, limpar e manter tudo aquilo, mas não penso que isso me faça melhor que ninguém. Paz interior: sou daquelas pessoas chatonildas que um belo dia, sem a menor razão, acordam a vó atrás do toco. Ter editado minhas posses para o conteúdo de duas malas diminuiu o meu stress e eliminou muitas razões de irritação, mas não virei um anjo de candura, não. Certezas sobre o futuro: estou é perdendo as poucas que eu tinha. Eu sempre sonhei em estudar literatura. Agora estou achando que bom mesmo é fazer história. Ou sociologia. Ainda tenho ambições de entender o mundo.

6 comentários:

  1. Belo post, muito sensato. Duvido de quem se acredita guru e duvido mais ainda das pessoas que julgam as experiências alheias, como se declarar-se minimalista significasse obrigatoriamente morar num barril e atingir a suprema iluminação espiritual.

    ResponderExcluir
  2. o que vc consegui já é muita coisa, só o fato de vc não viver no vermelho e com uma casa atulhada de coisa pra limpar é um alivio grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs, total de acordo!

      Excluir
    2. rsrs, total de acordo!

      Excluir
  3. Lindo seu texto. Você tem a sensibilidade dos poetas. E escreve muito bem. Sugiro optar por literatura - rs. Beijos! E sucesso!

    ResponderExcluir
  4. História! Fiz jornalismo e parei história na metade pra fazer concurso, passei e agora não volto pelas minhas filhas...se é que posso sugerir alguma coisa: fazer História (pode pegar disciplinas de sociologia, antropologia, filosofia, e ler muita literatura ao mesmo tempo!) e um trabalho social voluntário bem legal :)

    ResponderExcluir