segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Poucas peças, e usando todas

Um bom teste para quem acha que não dá pra viver com um guarda-roupa reduzido são as viagens. A não ser que você vá embarcar em um cruzeiro - porque aí as malas vão navegando junto com você - ou seja a Lily Marinho - que mandava a assistente para Paris com as bagagens um dia antes de embarcar, e quando ela chegava estava tudo passado e pendurado no armário -, quando a gente viaja somos obrigados a diminuir o número de peças.

Eu e o Leo começamos nosso período sabático com duas malas (uma pequena, uma média) e uma mochila grande. Para o sudeste asiático, trouxemos só a mochila grande e outra, menorzinha, emprestada da irmã I. O truque, óbvio, é lavar roupa. Essa é nossa quarta semana e já lavamos 3 vezes. Pijama, por exemplo, trouxemos um só: uma vez por semana a gente bota nas máquinas de lavar e secar e pronto, já sai no ponto para usar outra vez.

Não estou sugerindo que as pessoas vivam como se uma eterna viagem (embora isso não seja ruim, não): é só para pensar como a gente costuma ter dentro do armário muito mais coisa do que realmente precisa.

7 comentários:

  1. Bom dia!

    Minha esposa e eu conseguimos viajar por 1 semana levando somente 1 mala média e duas mochilas pequenas, mesmo assim sempre voltamos com roupas sem uso, acho q dá pra diminuir mais ainda, rsrs!

    Venho gradativamente diminuindo a quantidade de roupas, dando preferência para aquelas que não precisam passar.

    Abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
  2. Minha próxima aquisição (a doidinha que quando falam em minimalismo, vem com aquisição) será uma mala pequena (daquelas que embarca com vc no avião), e viajar com todas as roupas, minhas e do namorado, nela. A mochila sempre vai, mas é pq o namo é arquiteto e trabalha no notebook, então na mochila vai o escritório. Mas o projeto é esse, guarda-roupa reduzido em casa, guarda-roupa reduzido na viagem.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Concordo. Me lembrou a fábula do viajante que visitou um sábio que morava numa cabana onde tinha apenas alguns livros e nada mais. O viajante perguntou: Voce só tem isso de coisas? Ao que o sábio respondeu apontando a mochila do viajante: Ué, vc tb só tem poucas coisas. E o viajante respondeu: Mas eu estou só de passagem. E o sábio retrucou: Eu também!!
    beijos meninas, adoro o blog! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a fábula, Carol. Não conhecia! Obrigada!

      Excluir
  4. Caí aqui procurando isso, gostaria de encontrar pessoas que abriram mão de tudo o que tinham. Como é ter coisas selecionadas para viver. Que caberiam numa mala sem que ela ficasse completamente lotada! Mas teria que ter só aquilo mesmo, mais nada seu te esperando em casa de parentes, etc.

    ResponderExcluir
  5. Bem, a gente tinha duas malas para 3 anos seguintes, mas deixamos na casa dos pais as roupas de trabalho (camisas e calças sociais, casacos), porque sabíamos que uma hora voltaríamos ao Brasil e ao emprego.

    Mas não sei se "abrir mão de tudo" é a história toda. Talvez mais importante seja "se manter abrindo mão de tudo"! Isto é, não ir adquirindo mais e mais coisas (em oposição a simplesmente substituir o que se desgastou ou estragou).

    Boa sorte na sua busca!

    ResponderExcluir