quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Do que vale isso daqui a 10 anos?

Uma amiga minha costumava dizer isso, meio que brincando, toda hora que a gente começava a se preocupar com alguma coisa, ficar com medo, em dúvida...

Por mais que ela estivesse brincando, é uma pergunta interessante de se fazer para colocar as coisas em perspectiva. A gente tende a exagerar na importância das nossas preocupações e isso só traz desespero e stress, nunca soluções.

O trânsito está congestionado e vou me atrasar 15 minutos... Do que vale isso daqui a 10 anos? Tenho que entregar um relatório e não vai dar tempo de revisar.... Do que vale isso daqui a 10 anos? Deixei a caneta estourar na blusa e vai manchar... Do que vale isso daqui a 10 anos?
Calma, Fernanda. É só uma mancha.

Vale a pergunta pra gente se tocar de que grande parte das nossas preocupações são supérfluas, sem impacto nenhum ou muito pequeno a longo prazo. Uma blusa manchada nem vai ser lembrada daqui a 10 anos (desde que a gente não dê para as roupas valor maior do que elas têm). 15 minutos de atraso? Desde que não seja na entrevista de emprego dos seus sonhos, idem. Relatório sem revisão? As pessoas nem vão reparar. Ou então vão, você reconhece o erro, pede desculpas e bola pra frente.

Importante lembrar ainda que preocupar não resolve nenhum problema. Então que, mesmo que a coisa tenha impacto daqui a 10 anos (como no caso do atraso na entrevista de emprego dos sonhos), você não vai deixar de se atrasar automaticamente só por se preocupar. Vale mais focar em resolver a questão. E, se não tiver solução, paciência... Afinal, do que vale isso daqui a 10 anos?

3 comentários:

  1. Xô contar uma historinha: 5 anos atrás, véspera do meu casamento, eu com mil coisas pra fazer no trabalho, tendo que resolver pepinos de um cliente intragável. Esse cliente era daqueles q hj eu nem atendo: arrogante, trabalhoso, exigente ao extremo e só queria pagar pouco. To tipo q mesmo gostando do seu trabalho, diz q ficou + ou - só pra tentar baixar o preço.
    Atendi essa conta ao mesmo tempo q (tentava) organizar meu casamento. Cara, foram meses de um stress sem tamanho. Nunca tinha tempo pra ver a decoração, o bolo, fiz tudo nas coxas.
    Pois bem, 1 dia antes de casar recebo uma ligação histérica do marketing deles. Um dos materiais que fizemos saiu errado (um funcionário vacilou nas medidas do layout). Conclusão, passei meu dia de noiva telefonando e trabalhando feito louca.
    Lembro de entrar na igreja super cansada, com a energia consumida. E qual a importância desse cara na minha vida hj? ZERO, NADA, NENHUMA.
    Por isso toda vez que tenho uma situação de stress e preocupação, tento lembrar dessa lição. Nem sempre consigo, mas tento. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Fer. Que chato! E que bom você não vai mais deixar isso acontecer.
      Aplicando o "Do que vale isso daqui a 10 anos?" fica claro que seu casamento é muito mais importante do que o cliente intragável.
      Não é nada fácil controlar stress e preocupação. Ainda mais se a gente se cobra competência no trabalho.
      É difícil, mas não tem jeito.. A gente tem que tentar mesmo...

      Excluir
  2. Costumo falar isso pro meu noivo, ele pira com qualquer coisinha, é muito chato :S
    E fiquei chocada com a história da Fer Santos, que situação!!!

    ResponderExcluir