segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Minha meta de socializar, e porque ela é importante

No início do ano de 2015, refletindo sobre o que eu queria melhorar na minha vida, eu fiquei pensando muito no tanto que eu gosto de encontrar pessoas, e no tanto que eu fui deixando isso de lado para dar conta de atender outras áreas da minha vida (trabalho, capoeira, casa...). Não que essas coisas não sejam importantes, elas são fundamentais; mas elas não podem ser a minha vida inteira (e estavam sendo). 

Porque eu gosto de conversar, de contato com os outros, de ver gente. É algo que me faz bem e uma das coisas que eu acho mais importante na vida. Eu tento tanto simplificar a minha vida justamente para aproveitar o que é essencial para mim, e não estava conseguindo.

Então eu realmente me dediquei a socializar mais. Aconteceu mais de uma vez de eu chegar em casa durante um dia da semana super cansada do trabalho, chovendo lá fora, doida pra ficar no sofá de pijama, e surgir na hora ou eu já ter combinado antes um encontro. Claro que é completamente justificável querer descansar em um momento desses. E algumas vezes realmente não dá pra ir contra, ou a gente acaba doente. Mas na maioria delas dá para segurar a preguiça, tomar um banho, dar uma renovada e sair.

Sempre que fiz isso, foi ótimo. Mesmo tendo bagunçado minha rotina algumas vezes (e eu adoro minha rotina), valeu tanto a pena que estou ampliando a meta pra este ano. Não que eu tenha como medir essa meta, então fica mais na minha cabeça e na maneira de lidar com a vida.

Quero ver ainda mais amigos, encontrar com a família, visitar quem mora longe, conhecer novas pessoas. Isso me faz feliz. É essencial para mim. Então vou correr atrás.

No início do ano, meu amigo Luis veio da Inglaterra passar poucos dias aqui. Era no meio de semana, eu estava morta de cansada, mas tirei energia da alma e fui encontrá-lo. E foi uma delícia!
Depois tive férias, e fui ver o Paulo no Rio de Janeiro.
Depois foi a vez da Diorela vir ao Brasil. Demos um jeito de nos encontrar. Por mais que a gente converse pela internet, ver a pessoa e poder abraçar é muito bom.
No final do ano, aproveitei uma viagem de trabalho para Brasília, para passar uns dias de muitos passeios e conversas com a Lud e o Leo.

14 comentários:

  1. Sou uma das felizes beneficiárias da sua meta. Aprovadíssimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim! Fiquei muito feliz por a gente ter se encontrado tantas vezes em 2015. Acho que a gente não se via tanto desda a faculdade... Foi ótimo mesmo. Vamos tentar nos encontrar mais em 2016 também :)

      Excluir
  2. Que legal Fernanda!!

    Isso que importa e não tem preço que pague nem que compense esses momentos, e só conseguimos com redução de compras e antigos hábitos, usando nosso trabalho a nosso favor para poder viajar e visitar amigos, familiares. Isso eu também fiz em 2015 mais que 2014 e espero fazer mais ainda esse ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Adriana! É um dos motivos de eu buscar o minimalismo. Também quero fazer mais em 2016 :)

      Excluir
  3. Gostei muito desse texto ,são pequenas coisas que esquecemos .otimo blog!

    ResponderExcluir
  4. Sucesso em 2016!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nana! Para você também!
      Beijo!

      Excluir
  5. Vc tem toda razão. Estou lendo um livro sobre depressão daquela série "For Dummies" e diz que os seres humanos, para ser mentalmente saudáveis, precisam ter uma vida que cumpra alguns pré-requisitos. Um deles é o sentimento de pertença. Precisamos nos sentir parte de pelo menos duas redes sociais (reais, rs) para estar bem. A única maneira de fazer isso é investindo tempo nas pessoas que têm a ver com a gente.

    Eu vou casar em dezembro. Estou começando a procurar buffet e igreja neste mês. Estou ficando maluquinha. Mas eu já tinha me comprometido previamente a ajudar no bloco de carnaval de rua do grupo de crianças e jovens do Arsenal. Eu sei que minha participação é importante (algumas coisas só eu consigo fazer). Estou morrendo de vontade de desistir pra focar nas coisas do casamento com mais calma, mas vou tentar com juntar todas as minhas forças pra dar conta das duas coisas e mostrar pra essas pessoas o quanto eu as valorizo.

    Bjos!
    Thais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que interessante esse livro. Eu não sei se é assim para todo mundo, mas eu gosto mesmo de laços sociais, então vou correr atrás, não é?

      Você vai casar, Thais?!? Parabéns! Tanta coisa acontecendo na sua vida... Deve estar difícil lidar com tudo mesmo.

      Uma coisa que ajuda nessas horas é contar com a ajuda dos outros. Tira da cabeça que só você consegue fazer certas coisas. Começa a contar com o apoio de quem está ao seu redor (tanto para o casamento, quanto para o carnaval). É um desafio que estou colocando pra mim também, porque também sou muito controladora e acho que eu tenho que fazer tudo. Cuidado para não se sobrecarregar e isso afetar a sua saúde, hein? Eu fiz isso em 2015 e não quero repetir. Não vale a pena.

      Beijo!

      Excluir
  6. Ih Fernanda, esse seu post me fez sentir um bicho do mato... sorri. Preciso mudar essa minha realidade.

    Abraço grande.

    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre é tempo de mudar, Maria :)
      Abração!

      Excluir
  7. Oi Fernanda! Quanto tempo! Super válida essa iniciativa! Adoraria te rever também! Feliz 2016. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fish! Saudadeeee!!! Feliz 2016 para você também!!!
      Você está morando onde? Me avisa quando vier em BH pra gente encontrar. Beijão!

      Excluir