quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Introvertida ou antipática?

Andei lendo uns livros e artigos sobre introversão, e aprendi uns detalhes importantes. Embora muitas vezes a gente use a palavra "introvertido" para falar do tímido, em várias teorias psicológicas esse traço de personalidade quer dizer apenas que a pessoa se direciona mais para seu mundo interior do que para o exterior, ou que o nível de estímulo que ela aprecia é mais baixo do que o dos extrovertidos.

Isso me ajudou a me entender melhor: me reconheço como introvertida (gosto de ficar sozinha, prefiro passatempos solitários, não faço questão de companhia pra almoçar), mas ninguém em sã consciência vai dizer que sou tímida. Na escola, eu sempre corria para me escrever no teatro anual e no coro de crianças. Apresentar trabalho na frente da sala? Sou voluntária. É verdade que, adolescente, tive a fase de ficar nervosa em eventos, mas depois de ir a muitos deles, passou.

Embora sejam mais focados em seu mundo particular, isso não quer dizer que os introvertidos não gostem de pessoas. Eles gostam, sim - mas em doses moderadas. Enquanto os extrovertidos se enchem de energia e ânimo quando estão em grupos, os introvertidos - que também ficam felizes ao interagir - se sentem cansados, e precisam de um tempinho a sós para recarregar as baterias.

Sim, eu me divirto em festas - mas, quando elas acabam, vou dormir toda contente, em vez de ligar para os amigos para combinar uma esticada até o amanhecer.

Talvez o maior problema dos introvertidos seja o fato de sermos minoria: mais ou menos um quarto da população, segundo algumas projeções. Então, a chance de estarmos cercados por amigos e familiares extrovertidos, que acham que nós somos uns antipáticos - ou pelo menos uns bobos que não sabem se divertir - é grande.

Minha sorte é que o Leo também é da turma dos introvertidos. Então, não rola pressão - de nenhum dos lados - para que a gente vá pra balada, curta o carnaval ou visite Ibiza na alta temporada.

Dito isso, acho bom ter uma irmã extrovertida que me leva pra sair, me convida pra shows e me apresenta a pessoas. Depois de uns dias com ela, eu socializo o suficiente para pelo menos um semestre - e isso me deixa feliz da vida. Obrigada, Isa!

* * *

Quanto à pergunta do título do post, a resposta, é claro, poderia ser "ambos". Mas eu acho que sou até simpatiquinha.

15 comentários:

  1. Eu faço parte do grupo dos introvertidos. Mas sou simpátiquíssima (tem dias que não).
    Neste momento aceito-me como sou e que não peguem comigo por eu não querer ir para o meio da confusão!

    ResponderExcluir
  2. Cacilda, acabei de descobrir que sou introvertida. E não sou nada tímida.
    Na verdade, olhando bem o texto, eu não era introvertida... fui ficando com o tempo. Ou será que tive apenas uma fase de extroversão, e depois voltei ao meu normal? Vou precisar refletir sobre isso - o que é sempre ótimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lud, eu também passei por uma fase em que eu era mais extrovertida - ou pelo menos introvertida. Sou partidária da tese de que as pessoas são infinitamente flexíveis e complexas...

      Excluir
  3. Acabei de descobrir que sou introvertida e não tímida. Na verdade, eu sempre meio que duvidei do fato de ser o primeiro porque não era tanto o segundo, mas agora a fica caiu que são coisas separadas. Valeu. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, eu também não entendia essa história direito. Agora as coisas fazem sentido!

      Excluir
  4. Que livros?

    Eu tenho algum problema com isso, apesar dos 30. E preciso de alguma ajuda, mas não posso fazer terapia agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon,
      os livros foram "Personality", do Daniel Nettle, e "Quiet: the power of introverts in a world that can't stop talking", da Susan Cain (tem em português: é "O poder dos quietos"). O primeiro é muito bom; o segundo é médio, apesar de falar mais da introversão do que o primeiro.
      Boa sorte!

      Excluir
  5. Sou como você! Adoro pessoas queridas em minha vida, mas preciso de meus momentos de solidão para recarregar minhas energias. Viajo muitas vezes sozinha, vou ao cinema so, adoro almoçar fora sozinha...Estamos juntas, ainda que nos nossos momentos introspectivos individuais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a última frase, Lu! É isso aí!

      Excluir
  6. Menina, faz um tempo que venho substituindo o "tímida" por "introvertida/reservada". Mas não foi fácil chegar nesta conclusão.

    Agora estou na fase de aceitar/entender que ser introvertida não é uma característica ruim... Na verdade, eu não tenho problema em preferir ficar só em alguns momentos, ouvir mais que falar e outras situações semelhantes. O problema, é que tem horas que sinto que os outros não entendem minha personalidade e fazem julgamentos equivocados como "menina metida", "guria esnobe"... Mas com o tempo, espero ajustar melhor a importância que dou ao que os outros pensam sobre mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samara, isso acontece mesmo. Talvez ajude a gente de vez em quando explicar que gosta de ficar sozinha, que muito estímulo nos cansa... aí o povo vai entender que não é pessoal =).
      Beijos

      Excluir
    2. Eu sempre faço isso, como boa introvertida que também se achava tímida, explico que às vezesgosto de ficar só, mas já percebi que a leitura de algumas pessoas é "se você prefere ficar é porque não gosta da minha companhia". Isso me incomodava muito, mas agora estou aceitando mais, afinal, não dá para agradar a todos, ou pelo menos não é justo agradar aos outros me desagradando.

      Ilka

      Excluir
    3. Também acho, Ilka. Claro que a gente faz um esforço pra viver em comunidade, mas há limites. Não acho razoável a gente se forçar demais para agradar o outro.
      Beijos

      Excluir
  7. Que interessante! Super me identifiquei com tudo... Realmente fazia confusão, porque não me considero tímida, sou até falante, mas, muitas vezes, prefiro ficar sozinha do que socializar... meu marido é parecido comigo, ainda bem! Seria um desgaste muito grande se ele fosse super social... definitivamente não aou do tipo que carrega energias socializando... obrigada por compartilhar, Lud!!

    ResponderExcluir