sexta-feira, 5 de julho de 2013

Desapego do cabelo

Eu já fui cabeludíssima, daquelas às quais a cabeleireira diz, num tom quase acusatório: "você tem muito cabelo!". Aí, há uns dez anos, ele começou a cair muito e alegremente.

Passei por alguns dermatologistas, que me recomendaram aplicações tópicas (duas vezes por dia: usei uma semana e larguei) e complementos de ferro (funcionou só enquanto eu estava tomando). Li uns artigos e discussões em fóruns sobre o assunto, e o que vi foi 1) a luta contra a calvície feminina é constante e desanimadora, porque pelo jeito nada funciona de verdade; e 2) as moças se angustiam muito com isso.

Então eu larguei mão. Eu já estava na fase feminista na qual tinha descoberto que eu não sou só minha aparência. E concluí que... cabelo? É só cabelo.  

Olha, eu entendo perfeitamente que os cabelos estão ligados à auto-imagem das pessoas, principalmente das mulheres. Longe de mim criticar quem não quer ficar careca. Mas estou preferindo evitar a fadiga.

Hoje eu não sou tão cabeluda quanto um dia fui, mas ainda estou dentro da normalidade capilar (média baixa, digamos). No entanto, se meu cabelo continuar caindo como está (e olha que eu tomo um anticoncepcional que em tese ajuda no cenário), daqui a uns 10 anos não terei muitos fios.

Aí minha ideia é passar máquina e pronto. Melhor do que ficar ajeitando uns fiapos no crânio e torcendo para que as pessoas não percebam que eu estou ficando careca. Elas vão ver que eu sou careca.

Estou pensando se eu aproveito minha temporada sabática e raspo o cabelo agora pra ver como é que é (porque se eu odiar com todas as forças posso pensar em reconsiderar a minha recusa a tratamentos) ou se aproveito meus últimos anos cabeludinha.

Bebês também são carecas e ninguém reclama

38 comentários:

  1. Lud, vc é um máximo. Adorei o post ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela honestidade ;-)!
      Beijos

      Excluir
  2. Adorei a atitude. Tem gente que fala que raspar faz crescer mais fortes, não sei se é verdade, mas de repente vale tentar! Já pensei e fazer isso também, quem sabe um dia eu tomo coragem! abraços!

    ResponderExcluir
  3. nossa, Lud raspar o cabelo é um ato de desapego muito grande,eu tenho essa vontade de raspar só p ver como fica mas até hj nunca tive coragem, se vc fizer isso um dia nos mostre :)

    ResponderExcluir
  4. aaaaaaaaaaaah! eu tambem queria raspar uma vez na vida! putz, se rasparmos ao mesmo tempo podemos passar uma pela outra e voce trabalha pra mim enquanto eu passeio com o leo... rola?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só se eu tiver chocolate allowance no seu trabalho! =D
      Beijos

      Excluir
  5. Oi Lud,

    Olha, eu me lembro que eu caí no teu blog por causa de uma pesquisa sobre deficiência de ferro (ou ferritina) e queda de cabelo. Eu tenho tendência a queda por ter o cabelo muito oleoso e, na época, era praticamente vegetariana. Já fiz vários tratamentos por causa disso. A questão é que a mulher em idade fértil perde muito ferro mensalmente, e a alimentação pode não repor ou você pode não absorver adequadamente. A vitamina C ajuda a absorver o ferro na alimentação e nos suplementos. Aliás, o suplemento só funcionou para mim quando comecei a tomar junto cápsulas de vitamina C. Hoje a minha alimentação é mais equilibrada, mas mesmo assim o meu cabelo cai um pouco, por ser muito oleoso. Isso tudo só para dizer que cabelo não é só vaidade, é um reflexo no nosso estado nutricional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniela, que bom que seu tratamento deu certo. O cabelo é um reflexo da nutrição, sim, mas também tem a parte hormonal, né? Eu sou saudável, me alimento bem, não fumo, me exercito... mas meus dois avôs eram calvos e meu pai também.

      Li alguns artigos sobre como os médicos tem tido muitas pacientes, inclusive jovens, com queda de cabelos. Alguns acham que é o stress da vida moderna, outros que é excesso de química no ambiente (agrotóxicos, hormônios nos alimentos, poluição.).

      Já eu acho que o futuro da humanidade é não ter cabelo nem unha. E talvez nem dentes, hehe.

      Excluir
  6. raspa! :)
    eu já raspei baixinho (máquina 4) pra ver qual era a sensação e adorei :P vai valer como experiencia, pelo menos. e viajando é melhor que trabalhando, porque vai ficar tooodo mundo perguntando se "aconteceu alguma coisa?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anna,
      raspar de uma vez tem essa vantagem mesmo! Só tenho que planejar direito pra não ficar com ele muito curto no inverno e morrer de frio na cabeça (chapéu ajuda, eu sei).
      Beijos

      Excluir
  7. Hahaha adorei! Seus cabelos são grandes?
    Que coragem! Confesso que sou muito ligada a isso !!

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andressa,
      o meu cabelo está um pouco abaixo do ombro. Aqui dá pra ver bem, ó: http://minimalizo.blogspot.fr/2013/03/pequenos-luxos.html

      Beijos

      Excluir
    2. Que corajosa! Seu cabelo é lindo demais!!!
      beijos

      Excluir
  8. Optei pela máquina a um bom tempo e honestamente me sinto linda com meu carão aparecendo bem...
    Já me disseram que rejuvenesce, deixa com cara de menina!!!
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=390113221098425&set=a.101328676643549.2426.100002992506464&type=1&theater
    E o melhor... Uma camada de tinta e vc está sempre pronta para qualquer lugar, não dá trabalho nenhum...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Lu!
      E tem até isso, né? Até pra pitar fica mais fácil!

      Beijos

      Excluir
  9. Oi, Lud! Eu passei maquina 4 em novembro de 2011 ( essa foto do perfil é antes disso)...é libertador, tanto em termos de " I don't give a damn" como em termos de cuidados capilares.Acordar com o cabelo penteado e pronto pra sair porta afora é uma das maiores praticidades da vida.

    Tem preconceito? Muito. Demais. Vão se meter, te questionar, dar pitaco, achar que vc está doente...podem até achar que vc é gay...rs Paciência.A despeito disso tudo, é algo que repetir.Estou deixando o cabelo crescer desde então, mas após ter cabelo de maquina, vc acha que qq cuidado capilar é trabalho
    demais! rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Ana, eu já tive cabelo Joãzinho e achava uma beleza não ter nem de pentear, rs.

      E que coisa o preconceito, hein? Tem tanto homem que raspa, poxa. Mas, se é mulher, há quem ache que você é 1) doente terminal; 2) feminista raivosa; ou 3) lésbica.

      Feminista raivosa eu sou mesmo, rs.

      Beijos

      Excluir
  10. Eu já raspei na adolescência e foi um período mágico! Meu cabelo era liso e começou a enrolar. Eu não sabia lidar com ele e era um problema pra mim, além da perda de tempo. Gostei tanto de ser careca que mantiveve a cabeça raspada pio alguns meses. É libertador. Recomendo :-)

    ResponderExcluir
  11. Eu já raspei na adolescência e foi um período mágico! Meu cabelo era liso e começou a enrolar. Eu não sabia lidar com ele e era um problema pra mim, além da perda de tempo. Gostei tanto de ser careca que mantiveve a cabeça raspada pio alguns meses. É libertador. Recomendo :-)

    ResponderExcluir
  12. É... desapegar do cabelo é um ato de coragem! Que você é corajosa não resta dúvida! Eu te admiro por isso!
    Nunca passei máquina no cabelo, eu já cortei bem curtinho, tipo joãozinho quando decidi parar de alisar os cabelos e assumir meus cabelos crespos. Foi muito bom! Um grito de liberdade mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreia,
      também já vi bem curtinho e foi ótimo! Por isso estou otimista com a ideia de passar máquina.

      Beijos

      Excluir
  13. Caí aqui lendo blogs sobre minimalismo, e adorei o seu!
    Se entendi bem, o que vc tem é alopécia androgenética. Eu luto com a minha desde os 18 anos +/- (tenho 35). É uma luta diária com minoxidil/avicis/pantogar. E vou te dizer que tem períodos que nada adianta muito. Já fiquei muito mal com isso, porque cabelo é uma coisa difícil de despegar (pelo menos p/mim). Alguns dirão: cabelo cresce. Não, não cresce em quem tem alopécia androgenética (a famosa calvície genética).
    Espero um dia ter esse desapego com o cabelo, de verdade. Porque na atual situação é sofrimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani,

      é isso mesmo que eu tenho. O dermatologista do diagnóstico fez uma cara muito desanimada na hora - falou que é uma luta constante mesmo.

      Na época (eu tinha uns 27) eu não liguei muito porque tinha bastante cabelo. Mas, desde então (e muitos fios caídos depois) tenho procurado não dar muita bola, sabe? Justamente para tentar evitar esse sofrimento pelo qual você está passando. Porque uma coisa é ter trabalho, despesa e angústia para conseguir um resultado bom, ou pelo menos razoável. Outra é não ver quase nenhum.

      Espero que tudo dê certo com você e seus cabelos!

      Beijos

      Excluir
  14. tou boba (e achando super legal) com tantos relatos de gente que ja' raspou o cabelo! nao esperava :D eu morro de vontade, mas nao quero passar pelo processo de crescimento de novo. meu cabelo 'e enroladinho e fica bom ou super curto, ou depois do meio das costas. mas quem sabe um dia :D

    ResponderExcluir
  15. Não é, Isa? Também não esperava.

    Acho que um dia você anima, sim. Cabelo cresce! (Menos o meu e o da Dani Cano, né, mas enfim.)

    ResponderExcluir
  16. Que coragem :)
    Eu também tenho o mesmo problema, queda de cabelo. Motivo: stress, mesmo que não queira ele vem devagarinho e apanha-me. Por sorte, tenho cabelo encaracolado e quase não se nota e deixei de pintar o cabelo, tenho uma linda madeixa branca à frente tal como a minha avó materna, e dá-me um certo charme :)
    Mas tem muita gente que vem opinar, devias pintar o cabelo. Eu cá não me meto nisso. É só quimicos.
    E fiquei positivamente chocada com a tua atitude :)

    Beijinho

    ResponderExcluir
  17. Lud, na boa, vc só tira essa onda pq já casou e pq é funcionário pública, queria ver vc tentar emprego numa área mais conservadora com a cabeça raspada.
    Como todo mundo aqui eu tb já pensei o quão libertador seria raspar a cabeça, e apesar de não ficar nem um pouco bem de cabelo curtinho, os mantive assim por 5 anos. Ninguém mais gostava, só eu. Porém agora, embora eu nem goste mais de cabelão, os mantenho médios e dignos, menos q isso não rola.

    ResponderExcluir
  18. Tirando onda e cheia de marra, rs.
    De fato, não deve ser fácil arrumar emprego em uma área conservadora de cabeça raspada. Mas isso acontece porque é pouco comum ver mulher sem cabelo (que o diga a indústria de beleza), não? No dia em que formos várias, fica mais fácil pra todo mundo.
    Cabelos "dignos" é ótimo.

    ResponderExcluir
  19. Oi Lud, a cada post que leio eu fico mais impressionada com a sua capacidade de desapegar das coisas. Do cabelo? Ó céus! Você é realmente uma mulher desapegada. Eu sou antropóloga, pesquiso as relações que as mulheres moçambicanas têm com seus cabelos e fico realmente admirada com suas decisões. Acho que ficar careca pode ser bem estiloso. Temos medo do que isso pode causar, até mesmo de perder o emprego por causa das madeixas, mas tudo isso é mais ideia do que verdade. Vá postando as novidades que eu continuarei te seguindo. beijos, dê

    ResponderExcluir
  20. Me mudei pra Suíça e desde que vim pra cá meu cabelo começou a cair muito, não sei se é pela água, ou se por genética (minha mãe tem o cabelo bem ralo). E to com uma vontade doida de raspar, pq vejo falhas no meu cabelo e fico com desgosto. Sempre quis raspar só pra ver como ficava, mas tenho medo do marido não gostar e de ficar maos nariguda que já sou... Só que essas falhas no couro cabeludo estão me deixando muito infeliz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniele! A grande vantagem do cabelo é que ele cresce, né? Mesmo se você odiar, em alguns meses você já vai estar cabeludinha. O fato de você estar morando em outro país (ainda mais a Suíça, em que o povo é bem da deles, e não fica reparando e comentando o visual alheio) também ajuda. Agora, não sei se no inverno a falta de cabelo faz a gente sentir muito frio... apesar de que gorrinho tá aí pra isso mesmo.
      Agora, o pessoal lembrou aqui nos comentários que queda de cabelo às vezes é sintoma de que a saúde não vai bem. Então, uma passada no médico pode ser uma boa ideia.
      Beijos e boa sorte. Se você decidir raspar conta pra gente como foi!

      Excluir
  21. O bom de raspar o cabelo em um país estrangeiro é que não conheço quase ninguém aqui, logo não ia ter qse ninguém pra me aporrinhar. Estou pensando seriamente nisso.

    ResponderExcluir
  22. Muito interessante... Tenho 22 anos, sou cantor e preciso ter uma boa imagem para atrair meu publico, mas minha cabeça derrepente abriu uma clatera bem no alto, e o topete do Elvis que adorava, so restaram alguns fios, busquei diversos medicos e diversas formas de tratamento, tudo em vao... Aderi o chapeu para meus shows, porem ficar careca me deixou muito triste e deprecivo, agora estou nessa duvida, se raspo tudo ou se aproveito o pouco de cabelo que ainda me resta.

    ResponderExcluir
  23. Anon@17:53, que tal experimentar pra ver como fica? Você usa cabelo curto, certo? Então não vai demorar tanto pra crescer, caso você deteste. Sugiro começar passando máquina num número alto (isto é, sem raspar). Aí, se você gostar, vai cortando cada vez mais baixinho.

    ResponderExcluir