terça-feira, 5 de março de 2013

Ainda sobre a questão saúde X beleza

Desde que tive uns problemas de saúde no ano passado, passei a tomar mais cuidado com a minha alimentação. Apesar do dilema apontado pela Lud, infelizmente alimentação não é só questão estética.

A alimentação afeta todo o funcionamento do nosso corpo. E a gente tem que parar com essa ideia de que o corpo é apenas enfeite e receptáculo de roupas (hehe.. ficou engraçado). Ele é muito mais do que isso. É o que nos permite viver e interagir com o mundo. Escrevi mais sobre isso aqui.


Uma alimentação inadequada afeta a disposição, a memória, o raciocínio e a mobilidade. Pode diminuir seu tempo de vida, causar inúmeras doenças e deficiências com inúmero sintomas desagradáveis e limitadores. 

Vou dar o meu exemplo. Eu sou uma pessoa considerada magra, jovem (32 anos) e praticante de esportes. Mesmo assim, já tive diversos problemas que foram resolvidos apenas com cuidado com alimentação.

Já tive falta de vitamina B12 que bagunçou minha memória e eu só fui descobrir em um exame de sangue de rotina. Eu fiquei um tempão achando que era esquecida mesmo, ou que era o stress que me deixava assim, mas a alimentação também influencia e muito no cérebro. Foi passar a ingerir mais carnes que tudo melhorou.

Eu tenho colesterol alto, não por problemas na alimentação ou sedentarismo, mas por herança genética, e a única maneira de evitar começar a tomar remédio para isso é controlar ainda mais a alimentação e continuar com os exercícios. 

Eu tive anemia, também não por alimentação, mas por perda menstrual, e fiquei mais de um ano achando que eu estava sempre cansada e com cabelos caindo por causa do stress da vida, mas não, era físico. Tomei injeções de ferro para repor a reserva, e depois controlei com alimentação. Tem uns dois anos já que minha reserva de ferro está linda.

Para aproveitar ao máximo o nosso corpo, é preciso cuidar dele. Prestar atenção no que te faz bem ou te faz mal, fazer consultas médicas e exames periódicos. Você pode estar subaproveitando suas possibilidades e nem estar sabendo.

Para terminar, queria só enfatizar que se alimentar bem não é a mesma coisa que fazer regime. E que ser magro não é a mesma coisa que ser saudável, nem ser gordo é igual a ser doente. A mídia tenta fazer a gente acreditar que sim, mas não é não.

12 comentários:

  1. “Para terminar, queria só enfatizar que se alimentar bem não é a mesma coisa que fazer regime.”
    Fer, isso q vc falou é meu lema de vida. Hj em dia ao invés de tomar shakes, barrinhas e adoçantes ( ou seja, produtos alimentícios) eu como COMIDA, ALIMENTO. E assim perdi 16 quilos e meus exames estão ótimos.
    Variando as fontes de proteína, não só carne vermelha, peixe e frango, mas muito feijão, lentilha, ervilha, grão de bico.
    Comendo cálcio não só pelo leite desnatado industrializado, mas tb no brócolis, no gergelim.
    Chá verde misturado com suco de frutas (ao invés de refri diet)
    Ao invés de barra de cereais, um potinho de mingau de aveia cozido com castanhas e mel. Ou simplesmente frutas.
    Muita sopa, muita salada, muitos grãos, nozes, legumes, carnes, vegetais, frutas, chás, azeites. A natureza é sábia, dá tudo q a gente precisa. Cada alimento tem sua função e vc sabe exatamente o q está comendo: um filé de frango é isso, frango, proteína + gordura. Já um nugget light é uma maçaroca de carnes q vc não sabe a procedência e compra pq diz na embalagem q tem poucas calorias.
    Pq a indústria alimentar faz isso, incute na gente q a comida q ela fabrica q é saudável e q arroz com feijão engorda. Já caí muito nessa, agora nunca mais. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos juntas então, Fer.
      Também tenho dado preferência a comida, principalmente frutas, legumes, grãos e castanhas. Também me livrei das barrinhas e adoçantes. Adoro chá verde também. Eu tomo puro, sem açúcar, bem ao estilo oriental. Adoro!
      :)

      Excluir
  2. Oi Fernanda,

    Muito bom o post (o do link também está ótimo). É impressionante o quanto a mídia tenta nos convencer que estar saudável é ter imc de 20. E, nós, as mulheres, caímos como patinhas. Há controvérsias sobre a questão do colesterol alto sozinho aumentar o risco cardíaco. Parece que o maior problema é quando ele está associado ao diabetes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Daniela!
      Não sabia sobre essa dúvida em relação ao colesterol. Vou perguntar à minha médica. Obrigada pelo toque ;)

      Excluir
    2. Fui procurar onde eu tinha lido isso, e não achei. Não era exatamente o texto desse link abaixo, era um texto em inglês, mas o conteúdo era basicamente o mesmo: http://www.ecologiacelular.com.br/content/o_mito_do_colesterol_e_as_doencas_cardiacas (aliás, eles não falam em diabetes, isso eu não achei).

      Excluir
  3. Ótimo post, Fer! E ótimo comentário, Fer! hehehe :)
    Bia

    ResponderExcluir
  4. Por ser magra, nunca fiz dieta e como muita besteira.. tava totalmente no caminho errado e agora tenho que mudar alguns hábitos :( o estomago pediu arrego!

    Beijos,
    www.demodaemmoda.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha... É mesmo! Eu esqueci de colocar no post que ano passado tive gastrite por causa de alimentação errada. Como que eu esqueci disso? Hehe... Também tive me reeducar, principalmente comer de 3 em 3 horas. Minha médica falou que o pior mesmo para o estômago é ficar muito tempo sem comer. Pior do que qualquer café.
      Beijo!

      Excluir
  5. Já conheci gorda(inha) que praticava esportes e comia comida boa e magra sedentária que só comia besteira.

    Ultimamente, estou numas de pensar que o caminho não é controlar o peso, e sim aceitar o peso como consequência. A gente sabe qual comida faz bem e qual comida faz mal. A gente sabe que mexer o corpo é bom e que sedentarismo é ruim. Cada um tbm sabe o que cabe na sua vida: praticar um esporte a sério ou trocar um ponto de metrô por uma caminhada, fazer uma comidinha mais saudável em casa ou comer num restaurante com opções naturebas, permitir-se dar uma deslizada qdo a ansiedade ataca feio e compensar em outros momentos ou seguir numa dieta milimetricamente calculada... Escolher o que cabe na própria vida, o que dá pra fazer, por saúde e bem-estar. Se isso vai gerar perda de peso ou não, já são outros 500. Acho que o importante é ter a consciência de que vc está fazendo o máximo possível pela sua saúde nesse momento da sua vida, e aceitar com leveza o corpo que isso te der.

    É o que eu estou tentando fazer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma boa maneira de lidar com a questão :)

      Excluir