quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Leo Babauta, um cara legal, e sua receita de fracasso

Leo Babauta é um moço que escreve blogs bacanérrimos sobre viver com simplicidade: o zen habits e o minimalist. Ele é tão desapegado que os blogs dele não têm direitos autorais: o Babauta acha que as ideias têm é de ser distribuídas mesmo.

O Zen Habits e o Minimalist estão ali no nosso blogroll. Mas, como ele escreve em inglês, eu e a Fê achamos que é uma boa ideia traduzir os posts que mais nos interessaram e colocar aqui - dando o crédito  e botando o link para o original, claro!

(Eu e a Fê fizemos juntas uma aula de tradução na UFMG, lá em 2003. Vamos ver se a gente ainda sabe brincar, Fê?)

Por Leo Babauta

Já tentei mudar hábitos ruins e criar comportamentos novos, e falhei várias vezes. Eis aqui o que fiz (e o que a maioria das pessoas faz):

1) Tente mudar vários hábitos ao mesmo tempo. A gente quer mudar montes de coisas, e aí resolvemos mudá-las todas ao mesmo tempo. Então dividimos nosso foco e energia entre todas elas, e não conseguimos nos concentrar. Hábitos são difíceis de alterar, e tentar fazer demais ao mesmo tempo é uma ótima maneira de garantir o fracasso.

2) Tenha o olho maior que a barriga. Quer você queira alterar um comportamento ou vários ao mesmo tempo, dedique-se a mudanças radicais, que custam muito esforço e parecem quase impossíveis de conseguir. Não corra por 5 minutos: tente correr 30! Desse jeito, você vai precisar de um bom tempo todo dia - e vai  adiar toda vez que surgir uma emergência - e gastar um monte de energia física e mental, além de começar a emburrar pra fazer, já que é tão difícil. Não medite por 5 minutos, medite por 60! Faça 90 minutos de ioga! Mude sua dieta totalmente! Essas são maneiras excelentes de fracassar.

3) Dedique-se a hábitos chatonildos. Porque "bons"comportamentos têm valor moral - eles fazem bem pra gente! Então não importa se eles são odiosos, e você não quer mais se dedicar a eles - o importante é ter disciplina. Funciona muito raramente - logo, é uma ótima estratégia.

4) Fique de boca fechada. Não conte pra ninguém que você está mudando aquele hábito. Aí, se você tiver uma recaída, não vai passar vergonha. Isso quer dizer que você já acredita que vai ter uma recaída, o que é outro método excelente para fracassar.

5) Comece neste momento. Decida começar a correr hoje, e pronto! Desse jeito, parece que decisão é  insignificante, em vez de um compromisso sério. Você não pensa nos obstáculos, não cria uma rede de suporte, não se dá recompensas, e trata a mudança de hábito como se fosse tão importante quando calçar as meias. E quando você largar, também não vai ser problema.

6) Não se interesse pelas maneiras pelas quais outras pessoas tiveram sucesso. Por que ler as histórias de sucesso de outras pessoas? Você sabe mais que elas. Você não precisa aprender com os outros. Ou pelo menos é o que eu achava.

7) Não se motive. Você não precisa de motivação se você tem disciplina. Bem, disciplina você tem ou não tem, mas motivação é uma coisa que você pode criar.

8) Dê a si mesmo um monte de oportunidades de desistir. Tentando comer de maneira saudável? Encha seus armários e sua geladeira com bobagens, leve para o trabalho e vá a restaurantes que servem frituras e doces. Você tem disciplina para ignorar tudo isso.

Os oito itens acima são uma receita certeira para o fracasso, e eu recomendo que você experimente todos se você está tentando não conseguir. Agora, se você está tentando ser bem-sucedido, você pode preferir evitá-los... e provavelmente fazer o oposto!

7 comentários:

  1. Acho q vcs têm o poder de adivinhar temas que estou sempre precisando ler a respeito... hj mesmo, estou traçando mudanças para minha rotina de estudos e me vem esse monte de "dicas" rs
    Por favor, continuem traduzindo os textos do Leo Babauta!!! Minha leitura em inglês não é lá essas coisas e o tradutor do Google ainda não ajuda tanto para textos longo...
    OBRIGADA!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MS, que bom que você gostou e foi útil! Depois conta pra gente o que está dando certo ou não na sua rotina de estudos, porque é um assunto que sempre me interessa... (concurseira eterna, rs.)

      Excluir
  2. Meninas, MUITO OBRIGADA!! Esse post veio muito a calhar com meu momento atual em que estou reavaliando coisas na minha vida e me propus um desafio daqueles: passar o próximo ano sem beber um gota sequer de álcool. Adeus cervejinha com petiscos, jantares com muito vinho, festinhas regadas a birita. Estou querendo um rumo novo em q eu tenha mais tempo, mais saúde e mais grana. E acho q as farras desse ano estavam me tirando um pouco isso.
    O mais engraçado eh q sem saber, vi q estou seguindo varias dicas de sucesso (ou seja, fazendo o contrário q ele coloca). Penso ate em fazer um blog pra me incentivar a me manter motivada nessa meta. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer, faz blog, sim! Eu acho que ajuda muito. Para escrever, a gente organiza as ideias. E claro que "ter que prestar contas" faz com que a gente pense duas vezes antes de ceder às tentações, rs.
      E boa sorte no desafio!

      Excluir
    2. Lud, farei sim. E espero receber tua visitinha nele, seria um enorme prazer. Bj =)

      Excluir
  3. Este blog está muito legal!!! Estou gostando bastante da parceria de vocês! Gostei também do blog do Leo, principalmente porque vi que ele também defende a ideia de "mindfulness". Estou tentando mudar o hábito das preocupações desnecessárias com o futuro e tentando focar no "aqui e agora". Caiu como uma luva!
    Elen

    ResponderExcluir
  4. Olá Lud, pelo que vc escreveu você é ou já foi concurseira. Isso me interessou, pois eu também sou. Hoje eu vejo que existe um grande movimento de concursos públicos e vejo muitas pessoas escolhendo o cargo pelo salário. O problema disso é que vejo muitas pessoas infelizes no cargo público ou mesmo pulando de cargo em cargo por causa somente de um salário maior sem levar em consideração sua satisfação no trabalho.

    Pra mim,eu penso que se eu estiver satisfeito com o trabalho e tiver um bom salário, eu posso ficar no cargo. Não precisaria ser o maior salário do serviço público.

    O que você acha disso? Poderia criar um post sobre isso?

    ResponderExcluir